Produção de forragem, características estruturais e composição química de leguminosas forrageiras tropicais submetidas ao sombreamento

Fábio Nunes Lista Bruno Borges Deminicis João Carlos de Carvalho Almeida Saulo Alberto do Carmo Araujo Pablo Giliard Zanella Sobre os autores

RESUMO:

Encontrar espécies tolerantes ao sombreamento é essencial para o sucesso dos sistemas silvipastoris, cada vez mais frequentes nos últimos anos. Em se tratando de leguminosas, que possuem potencial de fixação biológica de nitrogênio, há uma grande carência de conhecimento em ambientes sombreados. Objetivou-se avaliar o cultivo de quatro leguminosas forrageiras tropicais (Neonotonia wightii, Pueraria phaseoloides, Macrotyloma axilare e Arachis pintoi) submetidas a diferentes níveis de sombreamento artificial (30, 50 e 70% de sombra) e em pleno sol durante as estações de água e seca. O delineamento utilizado foi o de blocos completos casualizados, em esquema de parcelas subdivididas, com quatro repetições. Na estação das águas, o Amendoim Forrageiro teve maior produção de forragem a pleno sol (11 ton ha-1 MS), e sob sombreamento não diferiu da Soja perene, superiores às demais em todos os níveis de sombra. Na estação de seca, as espécies apresentaram produção de forragem 61% menor do que a estação da água. Os níveis mais altos de proteína bruta foram encontrados em Amendoim Forrageiro, Kudzu tropical e Soja Perene, 19,0; 18,3 e 18,2%, respectivamente, na estação da água. O Amendoim Forrageiro é uma boa opção para uso em sistemas silvipastoris, embora haja uma pequena redução na produção de forragem (média de 23,7%). Em geral, espécies de Fabaceae apresentaram maior redução na produção de forragem no período de déficit hídrico, porém o sombreamento em níveis de 30% a 50% contribuiram para a mitigação da escassez hídrica. Embora haja uma pequena redução na produção de forragem, com exceção da Soja Perene na estação seca, é aconselhável o uso dessas leguminosas forrageiras tropicais nos sistemas silvipastoris, uma vez que a qualidade da forragem é pouco afetada pela sombra.

Palavras-chave:
Fabaceae; produção de forragem; composição bromatológica

Universidade Federal de Santa Maria Universidade Federal de Santa Maria, Centro de Ciências Rurais , 97105-900 Santa Maria RS Brazil , Tel.: +55 55 3220-8698 , Fax: +55 55 3220-8695 - Santa Maria - RS - Brazil
E-mail: cienciarural@mail.ufsm.br