AVALIAÇÃO DOS ASPECTOS QUALITATIVOS DE CARCAÇAS DE NOVILHOS CANCHIN, AUMENTADOS COM DIFERENTES VOLUMOSOS

EVALUATION OF CARCASS QUALITATIVE ASPECTS OF CANCHIN BREED STEERS FINISHED WITH DIETS CONTAINING DIFFERENT ROUGHAGES

Resumos

No presente trabalho fez-se uso de 18 novilhos da raça Canchin, com 24 meses de idade aproximadamente, e de 3 tratamentos: T1 - Silagem de milho + concentrado + uréia; T2 - Silagem de milho (70%) + silagem de aveia emurchecida (Avena strigosa Screb) (30%) + concentrado + uréia e T3 - Silagem de milho (40%) + silagem de aveia emurchecida (60%) + concentrado. O concentrado utilizado foi de igual composição para os tratamentos. A uréia adicionada ao T1 e T2, teve como função tornar os 3 tratamentos isonitrogenados (12% de proteína bruta). Os animais foram mantidos sob regime de confinamento durante 123 dias. As carcaças do T2 apresentaram uma menor percentagem de músculo, 62,78% contra 65,45% para T1 e 65,3% para T3 (P < 0,02411) e não se observou diferença significativa entre os 3 tratamentos para as percentagens de osso (P > 0,05) e gordura (P > 0,18853). O marmoreio da carne foi de 5,67; 7,17 e 4,67 pontos para T1, T2 e T3 respectivamente (P > 0,09488). Os resultados para coloração e textura da carne foram similares entre os tratamentos. O estudo da carne, em laboratório, mostrou que as percentagens de perda de peso no descongelamento e cocção não diferiram estatisticamente, sendo de 10,70 e 20,27 para T1; 11,25 e 23,54 para T2 ; 11,87% e 19,79% para T3 (P > 0,05 para ambas as variáveis). O sabor, suculência e a maciez foram similares para T1, T2 e T3. Conclui-se que as carcaças dos novilhos do T2 apresentaram uma menor percentagem de músculo. Já em relação as demais variáveis estudadas não houve diferença significativa quando se adicionou silagem de aveia emurchecida junto à silagem de milho na alimentação dos animais.

confinamento; canchin; silagem de milho; silagem de aveia emurchecida; características de carcaça; qualidade da carne


In the present experiment were tested 18 Canchin breed steers nearly 24 months old, and conducted three different treatments: T1 - Com silage plus concentrate plus urea, T2 - Com silage (70%) plus faded oates silage (Avena strigosa Screb) (30%) plus concentrate plus urea, and T3 - Com silage (40%) plus faded oats silage (60%) plus concentrate. The concentrate composition was the same for the 3 treatments. Urea was added to T1 and T2 in order to maintain the three treatments in the same nitrogen level (12% of crude protein). Ali the animals were kept under confined conditions during 123 days. The carcasses from T2 have shown a less muscle percentage, 62.78%, against 65.45% for T1 and 65.3% for T3 (P < 0.02411), and it was not observed any significative difference between the 3 treatments for the bones (P > 0,05) and fat percentages (P > 0.18853). The meat marbling score was 5.67; 7.17 and 4.67 points for T1, T2 and T3, respectively - (P > 0.09488). The results obtained for meat coloration and texture were similar in all the three treatments. The laboratory meat analysis has shown that the percentages of weight losses due to thawing and coction have not statistically differed, being 10.70% and 20.27% for T1; 11.25% and 23.54% for T2; 11.87% and 19.79% for T3 (P > 0.05 for the both variables). Meat juiceness, palatability and tenderness were similar for the three treatments (T1, T2 and T3). It is concluded that the carcasses from T2 have shown less muscle percentage; as for as the other studied variables are concerned, it was not observed any significative difference when it was added faded oats silage to com silage in the animals, feed.

confinement; Canchin; com silage; carcass characteristics; faded oats silage; meat quality


AVALIAÇÃO DOS ASPECTOS QUALITATIVOS DE CARCAÇAS DE NOVILHOS CANCHIN, AUMENTADOS COM DIFERENTES VOLUMOSOS1 1 Parte de projeto financiado pelo CNPq.

EVALUATION OF CARCASS QUALITATIVE ASPECTS OF CANCHIN BREED STEERS FINISHED WITH DIETS CONTAINING DIFFERENT ROUGHAGES

Frederico Taques Fonseca Nostre2 1 Parte de projeto financiado pelo CNPq. Ivan Luiz Brondani3 1 Parte de projeto financiado pelo CNPq.

RESUMO

No presente trabalho fez-se uso de 18 novilhos da raça Canchin, com 24 meses de idade aproximadamente, e de 3 tratamentos: T1 - Silagem de milho + concentrado + uréia; T2 - Silagem de milho (70%) + silagem de aveia emurchecida (Avena strigosa Screb) (30%) + concentrado + uréia e T3 - Silagem de milho (40%) + silagem de aveia emurchecida (60%) + concentrado. O concentrado utilizado foi de igual composição para os tratamentos. A uréia adicionada ao T1 e T2, teve como função tornar os 3 tratamentos isonitrogenados (12% de proteína bruta). Os animais foram mantidos sob regime de confinamento durante 123 dias. As carcaças do T2 apresentaram uma menor percentagem de músculo, 62,78% contra 65,45% para T1 e 65,3% para T3 (P < 0,02411) e não se observou diferença significativa entre os 3 tratamentos para as percentagens de osso (P > 0,05) e gordura (P > 0,18853). O marmoreio da carne foi de 5,67; 7,17 e 4,67 pontos para T1, T2 e T3 respectivamente (P > 0,09488). Os resultados para coloração e textura da carne foram similares entre os tratamentos. O estudo da carne, em laboratório, mostrou que as percentagens de perda de peso no descongelamento e cocção não diferiram estatisticamente, sendo de 10,70 e 20,27 para T1; 11,25 e 23,54 para T2 ; 11,87% e 19,79% para T3 (P > 0,05 para ambas as variáveis). O sabor, suculência e a maciez foram similares para T1, T2 e T3. Conclui-se que as carcaças dos novilhos do T2 apresentaram uma menor percentagem de músculo. Já em relação as demais variáveis estudadas não houve diferença significativa quando se adicionou silagem de aveia emurchecida junto à silagem de milho na alimentação dos animais.

Palavras-chave: confinamento, canchin, silagem de milho, silagem de aveia emurchecida, características de carcaça, qualidade da carne.

SUMMARY

In the present experiment were tested 18 Canchin breed steers nearly 24 months old, and conducted three different treatments: T1 - Com silage plus concentrate plus urea, T2 - Com silage (70%) plus faded oates silage (Avena strigosa Screb) (30%) plus concentrate plus urea, and T3 - Com silage (40%) plus faded oats silage (60%) plus concentrate. The concentrate composition was the same for the 3 treatments. Urea was added to T1 and T2 in order to maintain the three treatments in the same nitrogen level (12% of crude protein). Ali the animals were kept under confined conditions during 123 days. The carcasses from T2 have shown a less muscle percentage, 62.78%, against 65.45% for T1 and 65.3% for T3 (P < 0.02411), and it was not observed any significative difference between the 3 treatments for the bones (P > 0,05) and fat percentages (P > 0.18853). The meat marbling score was 5.67; 7.17 and 4.67 points for T1, T2 and T3, respectively - (P > 0.09488). The results obtained for meat coloration and texture were similar in all the three treatments. The laboratory meat analysis has shown that the percentages of weight losses due to thawing and coction have not statistically differed, being 10.70% and 20.27% for T1; 11.25% and 23.54% for T2; 11.87% and 19.79% for T3 (P > 0.05 for the both variables). Meat juiceness, palatability and tenderness were similar for the three treatments (T1, T2 and T3). It is concluded that the carcasses from T2 have shown less muscle percentage; as for as the other studied variables are concerned, it was not observed any significative difference when it was added faded oats silage to com silage in the animals, feed.

Key words:confinement, Canchin, com silage, carcass characteristics, faded oats silage, meat quality.

INTRODUÇÃO

Segundo as estatísticas realizadas no país, o Brasil não apresenta rebanhos de bovinos de boa qualidade, necessitando de até 4 anos para que se consiga um bom peso de carcaça.

Visando uma solução, MULLER (1977) cita que o sistema de comercialização da carne de bovinos deve ser racionalizado através da implantação de um sistema de tipificação de carcaças, onde os animais negociados sejam pagos em função da qualidade da carcaça e não apenas em relação ao seu peso. Deste modo estimula-se a produção de animais de melhor qualidade, necessitando, para tal, recorrer às técnicas mais avançadas de produção.

ANDRIGUETO et al (1984) afirmam que os novilhos terminados em confinamento apresentam uma carne de qualidade superior quando comparada a carne de novilhos terminados em pastagem. ABAID (1981), que estudou carcaças de novilhos da raça Charolês com peso médio de 221,55kg, registrou 5,42 pontos para marmoreio, 3,08 pontos para coloração, 3,35 pontos para textura, 5,81% de perda de peso no descongelamento de bifes do músculo Longissimus dorsi, 4,55 pontos para suculência e 5,62 pontos para maciez. BRONDANI (1989) confinou novilhos da raça Charolês e os alimentou com 54,9% de silagem de milho na dieta (MS) versus 56,4% de cana-de-açúcar, e registrou respectivamente 6,48 e 4,02 pontos para marmoreio; 3,50 e 4,17 pontos para textura; 68,05 e 70,69% de músculo; 15,49 e 11,85% de gordura; 16,41% de osso na carcaça; 7,79% de perda de peso no descongelamento de bifes e 23,87% de perda de peso pós-cocção, sendo as três últimas variáveis referentes a silagem de milho e 6,75 pontos para suculência quando utilizou-se cana-de-açúcar. BECKER (1978) verificou em carcaças de novilhos cruza Charolês-Hereford, abatidos aos 3 anos de idade: 8,49 pontos para marmoreio; 66,80% de músculo e 16,60% de osso na carcaça. MORAES (1982) obteve, em carcaças de novilhos da raça Charolês, abatidos com 30 a 48 meses e com 402,66kg de peso vivo médio, 2,0; 3,77; 5,44 e 5,80 pontos para marmoreio, coloração, suculência e maciez, respectivamente.

MOLETTA et al (1987) confinaram novilhos da raça Charolês e os abateram com 415,0kg de peso vivo (2,5 anos de idade), encontrando 14,16% de gordura e 64,99% de músculo nas carcaças. KEPLIN et al (1986) registraram 69,0% de músculo e 15,0% de osso nas carcaças de novilhos da raça Charolês, abatidos aos 3 anos de idade e com peso de 461,0kg. RODRIGUES et al (1989) testaram cana-de-açúcar versus ponta de cana na dieta de novilhos mestiços e registraram 58,1 e 60,0% de músculo e 22,6 e 20,6% de gordura nas carcaças, respectivamente. JARDIM (1975) obteve 17,98% de osso e 19,27% de gordura nas carcaças de novilhos da raça Aberdeen Angus.

Este trabalho teve por objetivo avaliar os efeitos causados pela substituição gradativa da silagem de milho por silagem de aveia emurchecida, sobre as características qualitativas de carcaças de novilhos da raça Canchin.

MATERIAL E MÉTODOS

Neste trabalho foram utilizados carcaças de 18 novilhos da raça Canchin, com idade média de 24 meses, terminados sob regime de confinamento e submetidos aos seguintes tratamentos: T1 - Silagem de milho + concentrado + uréia; T2 - Silagem de milho (70%) + silagem de aveia emurchecida (30%) + concentrado + uréia e T3 - Silagem de milho (40%) + silagem de aveia emurchecida (60%) + concentrado. O concentrado foi o mesmo para os três tratamentos e incluiu milho triturado (67,7%), farelo de soja (27,0%), farinha de ossos (4,3%) e sal comum (1,0%), e a proporção concentrado:volumoso foi de 32:68 na MS. Os animais foram abatidos no frigorífico Pontagrossense Ltda, Ponta Grossa - PR, e após, as carcaças foram colocadas em câmaras frigoríficas à uma temperatura de 1ºC por um período de 24 horas aproximadamente, para que em seguida pudesse ser feita a avaliação da conformação da carcaça. Posteriormente foi efetuado o corte entre a 12a e a 13a costela de cada carcaça para a obtenção do marmoreio e da coloração da carne.

Segundo a técnica preconizada por HANKINS & HOWE (1946), foram retiradas as secções representativas de cada carcaça para que se obtivesse as percentagens estimadas de músculo, osso e gordura. Em seguida acondicionou-se a porção do músculo Longissimus dorsi de cada carcaça, e após permanecerem em resfriamento à uma temperatura de -18ºC, por aproximadamente uma semana, foram retirados dois bifes de 2,5cm de espessura de cada porção do lombo, que foram pesados, e descongelados a uma temperatura de 4º C por 24 horas, sendo novamente pesados para obtenção da perda de peso no descongelamento.

Na fase seguinte, os bifes foram assados por 15 minutos, pesados novamente, para a obtenção da perda de peso na cocção, além das determinações das variáveis subjetivas: maciez, suculência e sabor da carne, através da mastigação de um cubo de carne de 2 centímetros cúbicos de cada bife, por um painel de 3 pessoas treinadas. Por fim utilizou-se o aparelho Warner Bratzler Shear para determinar a maciez dos bifes de forma objetiva através da força de cisalhamento (realizado no Departamento de Zootecnia da Universidade Federal de Santa Maria).

O delineamento utilizado foi o inteiramente casualizado com 3 tratamentos tendo 6 repetições. Foi empregada a análise de variância, com teste de Tukey, para aferir as médias que diferiram significativamente.

RESULTADOS E DISCUSSÃO

Parâmetros qualitativos das carcaças.

Na tabela 1 são apresentados os resultados de marmoreio, coloração e textura da carne de novilhos alimentados com as respectivas dietas.

Os trabalhos obtidos para o marmoreio não apresentaram diferenças significativas (P > 0,09488). Valores concordantes foram encontrados por ABAID (1981), que estudou carcaças com peso médio de 221,55kg e registrou 5,42 pontos em carcaças de novilhos da raça Charolês. O mesmo ocorreu com BRONDANI (1989) que registrou 6,48 pontos quando utilizou 54,9% de silagem de milho como volumoso. Porém, o mesmo autor quando forneceu 56,4% de cana-de-açúcar, encontrou 4,02 pontos, sendo similar a T1 e T3 mas inferior a T2. O inverso ocorreu com BECKER (1978) que registrou 8,49 pontos em carcaças de novilhos cruza Charolês-Hereford, sendo portanto semelhante a T2 e superior a T1 e T3. Entretanto MORAES (1982) obteve valor inferior (2,0 pontos) quando abateu novilhos de 402,66kg.

Em relação a coloração da carne, os tratamentos não diferenciaram-se entre si (P > 0,05), sendo concordantes aos apresentados por ABAID (1981) em carcaças de novilhos da raça Charolês abatidos entre 30 e 48 meses de idade e por MORAES (1982) em carcaças de novilhos abatidos com peso vivo de 402,66kg que foram 3,08 e 3,77 pontos, respectivamente.

Os valores encontrados para textura também não apresentaram diferença significativa (P > 0,19633), assemelhando-se ao resultado obtido por BRONDANI (1989) quando utilizou silagem de milho na dieta e que foi de 3,5 pontos e por ABAID (1981), que estudou a carne de novilhos da raça Charolês e registrou 3,35 pontos.

Os resultados registrados para a percentagem de músculo, osso e gordura na carcaça são apresentados na tabela 2.

Estudando os resultados referentes a percentagem de músculo, os tratamentos T1 e T3 apresentaram-se superiores ao T2 (P < 0,02411), concordando com os resultados obtidos por MOLETTA et al (1987) quando confinaram novilhos da raça Charolês e os abateram aos 2,5 anos de idade com peso vivo de 415,0kg aproximadamente, encontrando 64,99% de músculo. Também BECKER (1978) quando abateu novilhos da raça Charolês com 3 anos de idade, constatou valor similar aos tratamentos do experimento, de 66,80% de músculo.

Resultado superior aos três tratamentos estudados foi encontrado por KEPLIN et al (1986) que registraram 69,0% em novilhos da raça Charolês, abatidos aos 3 anos de idade, com peso de 461,0kg. O mesmo ocorreu com BRONDANI (1989) quando forneceu silagem de milho a novilhos da raça Charolês e registrou 68,05% de músculo. Já RODRIGUES et al (1989), confinaram novilhos mestiços com as dietas, cana-de-açúcar versus ponta de cana e registraram valores inferiores aos 3 tratamentos, que foram 58,1 e 60,0% de músculo na carcaça, respectivamente.

É possível que a menor percentagem de músculo no T2 seja devido o efeito combinatório da uréia mais a quantidade relativamente alta de fibra bruta da silagem de aveia (40,10% contra 25,40% da silagem de milho), o qual só ocorre nesse tratamento.

Analisando a percentagem de osso na carcaça, os 3 tratamentos apresentaram valores similares (P > 0,05), concordando com os obtidos por KEPLIN et al (1986) que utilizaram cana-de-açúcar na dieta, e por LEAL et al (1977) em carcaças de novilhos abatidos com um peso vivo de 441,0kg, que foram de 15,0 e 15,6%, respectivamente. Porém resultados superiores foram encontrados quando BECKER (1978) registrou 16,60% de osso nas carcaças de novilhos da raça Charolês, e BRONDANI (1989) que encontrou 16,41% de osso, quando forneceu silagem de milho .

Em relação à percentagem de gordura na carcaça, os resultados não obtiveram diferenças significativas (P > 0,18853), concordando com os valores registrados por RODRIGUES et al (1989) que registraram 20,6%, para carcaças de novilhos abatidos aos 2,5 anos de idade. Também JARDIM (1975) encontrou valor similar ao do T1 e T2 que foi de 19,27% de gordura. Valores inferiores foram constatados por MOLETTA et al (1987) quando confinaram novilhos cuja dieta foi composta de cana-de-açúcar e que foi de 14,46% de gordura. BRONDANI (1989) também encontrou valores inferiores quando utilizou silagem de milho (54,9% MS) versus cana-de-açúcar (56,4% MS) e registrou 15,49 e 11,85% de gordura, respectivamente.

Os resultados registrados para a percentagem de perda no descongelamento e percentagem de perda na cocção, em bifes retirados da secção do músculo Longissimus dorsi são apresentados na tabela 3.

A percentagem de perda no descongelamento de bifes do músculo Longissimus dorsi não apresentou diferença significativa (P > 0,05) entre os tratamentos, sendo superiores aos apresentados por BRONDANI (1989), de 7,79%, e por ABAID (1981), de 5,81%, em bifes da carcaça de novilhos da raça Charolês, com 208,85kg de peso de carcaça.

As percentagens de perda pós-cocção também foram similares para os 3 tratamentos (P > 0,05), concordando com os valores encontrados por ABAID (1981) nas carcaças com peso médio de 221,55kg de novilhos da raça Charolês. BRONDANI (1989) também encontrou valor similar (23,87%) ao T2, mas levemente superior ao T1 e T3 em novilhos alimentados com uma dieta contendo 54,9% de silagem de milho, porém registrou valor superior aos 3 tratamentos (24,33%), quando estudou novilhos alimentados com 56,4% de cana-de-açúcar na dieta.

Na tabela 4 estão apresentados os resultados encontrados para sabor, suculência e maciez da carne.

Estudando os resultados referentes a sabor, não registrou-se diferença significativa entre os tratamentos (P > 0,27908), concordando com o obtido por ABAID (1981) em novilhos da raça Charolês terminados em pastagem, mas inferior ao apresentado por BRONDANI (1989) que encontrou 5,33 pontos em novilhos alimentados com silagem de milho. Em relação à suculência também não se observou diferença significativa (P > 0,05), embora a carne de T1 e T3 terem sido classificadas como levemente abaixo da média e a do T2 como pouco suculenta. Esses valores são inferiores aos encontrados por BRONDANI (1989), que estudou carcaças de novilhos da raça Charolês e registrou 6,75 pontos e para MORAES (1982) que obteve 5,44 pontos. Resultado semelhante àquele obtido para suculência foi encontrado por ABAID (1981), quando estudou carne de novilhos da raça Charolês e observou 4,55 pontos, sendo também classificadas como levemente abaixo da média, comparado ao experimento.

Em relação à maciez, os resultados não apresentaram diferença significativa (P > 0,31838), sendo semelhantes ao encontrado por BRONDANI (1989) e também por ABAID (1981) que registrou 5,62 pontos, cujo peso de carcaça foi de 208,85 kg. MORAES (1982) também confirma os resultados do experimento quando registrou 5,80 pontos para maciez.

Observando a maciez determinada pela força de cizalhamento, através do aparelho Warner Bratzler Shear, os resultados não apresentaram diferença significativa entre os tratamentos estudados (P > 0,1017), sendo inferiores aos apresentados por MORAES (1982) e por BRONDANI (1989), que foram respectivamente de 8,16 e 9,0kg, porém ABAID (1982) apresentou resultado levemente superior ao T1 e T2, mas próximo ao T3, que foi de 6,89kg.

CONCLUSÃO

Analisando os resultados obtidos, pode-se concluir que as carcaças dos novilhos alimentados com silagem de milho (70%) mais silagem de aveia emurchecida (30%) mais concentrado mais uréia, apresentaram uma menor percentagem de músculo. Já as demais variáveis estudadas, no que se refere às características qualitativas da carcaça e da carne, com a adição de silagem de aveia emurchecida à silagem de milho, os três tratamentos mostraram-se similares nos resultados obtidos.

2Acadêmico do curso de Agronomia da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), bolsista do CNPq.

3Professor Assistente, MS, do Departamento de Zootecnia e Tecnologia de Alimentos, UEPG, 84010-330 - Ponta Grossa, PR.

Recebido para publicação em 12.04.93. Aprovado para publicação em 02.06.93.

  • ABAID, F. R. da C. Aspectos quantitativos e qualitativos de carcaças de novilhos abatidos em diferentes idades e grupos de peso Santa Maria, 1981. 74 p. Dissertação (Mestrado em Zootecnia) - Curso de Pós-Graduação em Zootecnia, Universidade Federal de Santa Maria, 1981.
  • ANDRIGUETTO, J.M, PERLY, L, MINARDI, I., et al. Nutrição Animal São Paulo: Nobel, 1984. 2 v.
  • BECKER, A.S. Produtividade da raça Hereford em cruzamentos com Charolês, Holandês e Santa Gertrudis Santa Maria, 1978. 124 p. Dissertação (Mestrado em Zootecnia) - Curso de Pós-Graduação em Zootecnia. Universidade Federal de Santa Maria, 1978.
  • BRONDANI, l. L Efeito das dietas contendo cana-de-açúcar ou silagem de milho no desempenho de novilhos em confinamento e nas características de carcaça Santa Maria, 1989. 114 p. Dissertação (Mestrado em Zootecnia) - Curso de Pós-Graduação em Zootecnia, Universidade Federal de Santa Maria, 1989.
  • HANKINS, O.G. & HOWE, P.E. Estimation of the Composition of Beef Carcasses and Cuts Tecnical Bulletin U.S.D.A, 1946. 20 p. Tecnical Bulletin, 926.
  • JARDIM, P.O. da C. Efeito da conformação e do peso da carcaça quente no rendimento da porção comestível da carcaça bovina. Santa Maria, 1975. 79 p. Dissertação (Mestrado em Zootecnia) - Curso de Pós-Graduação em Zootecnia, Universidade Federal de Santa Maria, 1975.
  • KEPLIN, LA. da S., RESTLE, J., MULLER, L et al. Avaliação dos aspectos quantitativos e qualitativos de carcaças de novilhos da raça Charolês, abatidos com diferentes pesos. In: REUNIÃO ANUAL SOCIEDADE BRASILEIRA ZOOTECNIA, 1986, Campo Grande, M.S. Anais.. Viçosa, Sociedade Brasileira de Zootecnia, 1986, 447 p. p. 326.
  • LEAL T.C., FREITAS, J. E. de, NUNES, R. V. de O. Confinamento e ou suplementação de novilhos no período hibernal, alimentados com sub-produtos da agricultura. In: ANUÁRIO TÉCNICO DO INSTITUTO DE PESQUISAS ZOOTÉCNICAS FRANCISCO OSÓRIO, 1976, Porto Alegre, RS. Anais.. Porto Alegre, Instituto de Pesquisas Zootécnicas Francisco Osório, 1977, p. 403-422.
  • MOLETTA, J. L, RESTLE, J., TOWNSEND, M. R, et al. Características de carcaça de quatro grupos genéticos de bovídeos. In: REUNIÃO ANUAL SOCIEDADE BRASILEIRA DE ZOOTECNIA, 1987, Brasília, DF. Anais.. Viçosa, Sociedade Brasileira de Zootecnia, 1987, p. 274.
  • MORAES, G. V. de. Efeito da idade de castração sobre o crescimento e características da carcaça de bovinos Santa Maria, 1982. 141 p. Dissertação (Mestrado em Zootecnia) - Curso de Pós-Graduação em Zootecnia, Universidade Federal de Santa Maria, 1982.
  • MULLER, L Um sistema de tipificação de carcaças bovinas para o Brasil. Revista Centro de Ciências Rurais, Santa Maria, v. 7, n. 4, p. 403-409, 1977.
  • RODRIGUES, L C., RESTLE, J., SANCHEZ, L M. B. Diferentes tipos de alimentação na terminação de novilhos de corte. REUNIÃO ANUAL SOCIEDADE BRASILEIRA DE ZOOTECNIA, 1989, Porto Alegre, RS. Anais.. Viçosa, Sociedade Brasileira de Zootecnia, 1989, p. 169.

  • 1
    Parte de projeto financiado pelo CNPq.

Datas de Publicação

  • Publicação nesta coleção
    03 Set 2014
  • Data do Fascículo
    Dez 1993

Histórico

  • Recebido
    12 Abr 1993
  • Aceito
    02 Jun 1993
Universidade Federal de Santa Maria Universidade Federal de Santa Maria, Centro de Ciências Rurais , 97105-900 Santa Maria RS Brazil , Tel.: +55 55 3220-8698 , Fax: +55 55 3220-8695 - Santa Maria - RS - Brazil
E-mail: cienciarural@mail.ufsm.br