Micropropagação e conservação de Macrosyphonia velame (St. Hil.) Muell. Arg. em banco de germoplasma in vitro

Micropropagation and conservation of Macrosyphonia velame (St. Hil.) Muell. Arg. in vitro germoplasm bank

Letícia Maria Martins Ana Maria Soares Pereira Suzelei de Castro França Bianca Waléria Bertoni Sobre os autores

A Macrosyphonia velame é uma planta medicinal do Cerrado, pertencente à família Apocynaceae, e conhecida popularmente como velame branco. Extratos de raízes de velame são utilizados pela população como depurativo e anti-sifilítico. Este trabalho teve como objetivo desenvolver o protocolo de micropropagação de M. velame, com vistas à conservação da espécie em Banco do Germoplasma in vitro. Sementes foram coletadas nos municípios de Sacramento, Tapira e Araxá, MG, e utilizadas como fonte de explantes. Segmentos nodais de plântulas axênicas foram transferidos para meio MS/2 suplementado com BAP, Cinetina, 2ip e TDZ em diferentes concentrações (0,25; 5,0 e 1,0mg L-1). Para o enraizamento, brotações com 2cm de altura foram transferidas para meios MS/2 suplementado com 1,0; 5,0; e 10,0mg L-1 de IBA ou ANA e cultivadas por 5, 10 e 30 dias, sendo em seguida subcultivadas em MS/2 por mais trinta dias e só então avaliadas quanto à formação de raízes. Na aclimatização e enraizamento ex vitro, foram utilizados substratos Plantmax®, areia e solo individualmente ou em combinações (1:1) de areia/Plantmax®; areia/solo; Plantmax®/solo. Para o estabelecimento do Banco de Germoplasma, brotações com 3,5cm foram transferidas para meio MS/2 suplementado com 2% de sacarose + 4% de manitol ou sorbitol; 2% de sacarose + 4% de manitol ou sorbitol + 2mg L-1 de pantotenato de cálcio; 2% de sacarose + 4% de manitol ou sorbitol + 2mg L-1 de espermidina. A porcentagem de germinação in vitro foi baixa, 33%, 4% e 2% das sementes coletadas em Araxá, Tapira e Sacramento, respectivamente. O meio MS/2 sem adição de citocinina promoveu a proliferação de brotos (4,0 por gema), elongação (5,2cm), número de gemas (8,6) e reduziu vitrificação (4%). Em relação aos substratos testados, as plântulas se desenvolveram melhor no Plantmax®, sendo que 40% das plântulas sobreviveram e a maioria apresentou formação de raízes. Plântulas cultivadas por três meses em meio de cultura MS/2 + 2% de sacarose + 4% de manitol + 2mg L-1 de pantotenato de cálcio, sob condições de Banco de Germoplasma, apresentaram 40% de sobrevivência.

Apocinaceae; cultura de tecidos; planta medicinal; Cerrado; velame


Universidade Federal de Santa Maria Universidade Federal de Santa Maria, Centro de Ciências Rurais , 97105-900 Santa Maria RS Brazil , Tel.: +55 55 3220-8698 , Fax: +55 55 3220-8695 - Santa Maria - RS - Brazil
E-mail: cienciarural@mail.ufsm.br