Discursos sobre comportamento de risco à saúde e a moralização da vida cotidiana

Discourses about health risk behaviour and the moralization of the everyday life

Marcos Bagrichevsky Luis David Castiel Paulo Roberto Vasconcellos-Silva Adriana Estevão Sobre os autores

O texto aborda criticamente a polaridade entre discursos sobre estilos de vida saudáveis e sedentarismo no contexto dos novos recursos tecnológicos de busca e disseminação de informações em saúde. Argumenta-se que a racionalidade tecnocientífica contemporânea fez emergir uma "economia das verdades" que, na perspectiva de conduzir a estilos de vida seguros, tem prescrito um ideário normativo de autodisciplina gerador de angústias e de consumo de artefatos agenciadores de gastos calóricos. Na produção hegemônica desses regimes de verdade, o sedentarismo se apresenta como conduta de risco à saúde, equivalendo à falência moral e inaceitável falta de cuidado consigo. Enfatiza-se que a profusão de discursos sobre estilos de vida e risco, tomados como dispositivos biopolíticos imbricados nos processos comunicacionais em saúde, merece foco por suas implicações éticas e políticas. A espetacularização de modos de vida associados ao consumo e a produção de narrativas que influenciam perversamente nossa cultura têm nos distanciado de uma noção de saúde socialmente possível. Discute-se, enfim, a essência reguladora de tais referentes simbólicos na construção de sistemas de conhecimento que vêm (re)definindo o que é ser saudável, normal, doente.

Comportamento de risco; Sedentarismo; Estilo de vida; Moralização da saúde; Informação em saúde


ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Av. Brasil, 4036 - sala 700 Manguinhos, 21040-361 Rio de Janeiro RJ - Brazil, Tel.: +55 21 3882-9153 / 3882-9151 - Rio de Janeiro - RJ - Brazil
E-mail: cienciasaudecoletiva@fiocruz.br