A trajetória dos sintomas depressivos da infância para a adolescência e objetivos da intervenção preventiva

Diane Marcotte Annie Lemieux Sobre os autores

Este estudo longitudinal examina a trajetória de desenvolvimento de sintomas depressivos da infância à adolescência e fatores associados, ao longo de um período de cinco anos. A partir da análise de curvas de crescimento latentes (Modelo de Crescimento Latente/LGM), os resultados indicam que o aumento de sintomas depressivos entre meninas nas idades de 11-12 anos e de 15-16 anos, o que não ocorre entre meninos. No entanto, em ambos os sexos, a variação da inclinação da trajectória reflete a heterogeneidade dos sub-grupos, revelando que as trajectórias variam entre os indivíduos. Entre os fatores medidos no tempo 1 do estudo aqueles que estão mais estreitamente associados com a mudança longitudinal dos sintomas depressivos são o apoio dos amigos, para ambos os sexos e a idade entre as meninas. Vários factores estão associados com a presença de depressão no tempo inicial. São discutidos objetivos de intervenção para a prevenção universal de depressão entre os jovens, assim como é apresentado um programa para o desenvolvimento de fatores de proteção entre adolescentes.

Depressão; Infância; Adolescência; Prevenção


ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Av. Brasil, 4036 - sala 700 Manguinhos, 21040-361 Rio de Janeiro RJ - Brazil, Tel.: +55 21 3882-9153 / 3882-9151 - Rio de Janeiro - RJ - Brazil
E-mail: cienciasaudecoletiva@fiocruz.br