Accessibility / Report Error

Vulnerabilidade de mulheres que fazem sexo com mulheres às infecções sexualmente transmissíveis

Vulnerability to sexually transmitted infections of women who have sex with women

Resumo

O objetivo do presente estudo foi identificar as dimensões da vulnerabilidade de mulheres que fazem sexo com mulheres associadas às infecções sexualmente transmissíveis. Estudo transversal com 150 mulheres, entre 2015-2017. Aplicou-se questionário estruturado, realizou-se exame ginecológico para diagnóstico de Chlamydia trachomatis, Neisseria gonorrhoeae, Trichomonas vaginalis, papiloma vírus humano e coleta de sangue periférico para detecção de HIV, hepatite B e sífilis. A variável desfecho foi a ocorrência de infecção sexual e as variáveis independentes compõem o referencial da vulnerabilidade, nas dimensões individual, social e programática. Análise de dados foi realizada por modelo de regressão logística. Os resultados mostraram alta prevalência das infecções (47,3%) e apenas variáveis relacionadas à vulnerabilidade individual se associaram de forma independente ao desfecho: chance de infecção foi quatro vezes maior entre mulheres com antecedente de infecção; nunca ter realizado exame sorológico aumentou a chance em quase três vezes e ter tido relação sexual com homem nos últimos 12 meses aumentou em quase nove vezes a chance do desfecho. Concluiu-se que essas mulheres são vulneráveis às infecções sexualmente transmissíveis em decorrência da vulnerabilidade individual.

Palavras-chave
Vulnerabilidade; Infecções sexualmente transmissíveis; Homossexualidade feminina

ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Av. Brasil, 4036 - sala 700 Manguinhos, 21040-361 Rio de Janeiro RJ - Brazil, Tel.: +55 21 3882-9153 / 3882-9151 - Rio de Janeiro - RJ - Brazil
E-mail: cienciasaudecoletiva@fiocruz.br