O uso de grupos focais para investigar temas de natureza íntima: exemplo de uma pesquisa sobre pontos de vista de meninas adolescentes acerca dos riscos do sexo

Dora Lucia de Oliveira Sobre o autor

A metodologia de grupos focais tem sido cada vez mais usada em pesquisas no campo das ciências sociais, particularmente em investigações relacionadas à saúde. Considerações sobre os aspectos de natureza íntima que permeiam estas pesquisas não são, contudo, muito frequentemente vistas em relatórios de pesquisa, nem em discussões sobre as maneiras de se conduzir tais pesquisas. O objetivo deste artigo é compartilhar uma experiência de pesquisa com grupos focais sobre temas de natureza íntima, tais como AIDS, risco e sexualidade, destacando algumas questões metodológicas. Mais especificamente, o artigo sugere maneiras para desenvolver este tipo de pesquisa com meninas adolescentes. As vantagens do uso de grupos focais para explorar pontos de vista sobre HIV/AIDS e outros riscos sexuais são também discutidas. Abordagens sócio-culturais sobre risco e o pensamento feminista formam os principais argumentos.

Grupos focais; Pesquisa qualitativa; Comportamento sexual; Saúde do adolescente; Risco


ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Av. Brasil, 4036 - sala 700 Manguinhos, 21040-361 Rio de Janeiro RJ - Brazil, Tel.: +55 21 3882-9153 / 3882-9151 - Rio de Janeiro - RJ - Brazil
E-mail: cienciasaudecoletiva@fiocruz.br