Benefícios físicos e redução de sintomas depressivos em idosos: resultados do Programa Nacional de Caminhada Português

Jeronimo Costa Branco Karen Jansen Jessica Teixeira Sobrinho Susana Carrapatoso Barbara Spessato Joana Carvalho Jorge Mota Ricardo Azevedo da Silva Sobre os autores

O objetivo do presente estudo foi verificar as alterações nos idosos após a participação no Programa Nacional de Marcha e Corrida de Portugal, em relação ao nível de aptidão física, medidas antropométricas, bem como os sintomas depressivos. Fizeram parte da amostra 26 idosos por um período de 6 meses com total de 72 aulas, que foram conduzidas com exercícios aeróbicos (marcha e corrida), de força e flexibilidade. Os dados de aptidão física foram mensurados pelo teste de Rikli & Jones, os dados antropométricos através de balança de bioimpedância/estadiômetro e a depressão pela Escala de Depressão Geriatria de Yesavage, estas informações foram coletadas pré e pós-intervenção. O nível de atividade física foi avaliado por acelerômetro apenas na pré-intervenção. Para as análises estatísticas foi utilizado o programa SPSS através do teste t-Student para amostras pareadas. Encontramos uma melhora significativa no pré para o pós-teste nos sintomas depressivos (p ≤ 0.001) e em todos os testes de aptidão física (p ≤ 0.05), com exceção dos de flexibilidade (p ≥ 0.05). A redução da circunferência da cintura também demonstrou os efeitos positivos da intervenção (p = 0.031). Podemos concluir que a participação no programa de Marcha e Corrida durante 6 meses foi eficaz na melhora da saúde física e psicológica do idoso.

Idosos; Exercícios; Caminhada; Aptidão física; Depressão


ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Av. Brasil, 4036 - sala 700 Manguinhos, 21040-361 Rio de Janeiro RJ - Brazil, Tel.: +55 21 3882-9153 / 3882-9151 - Rio de Janeiro - RJ - Brazil
E-mail: cienciasaudecoletiva@fiocruz.br