Evolução e associação do IMC entre variáveis sociodemográficas e de condições de vida em idosos do Brasil: 2002/03-2008/09

Vladimir Schuindt da Silva Israel Souza Diego Augusto Santos Silva Aline Rodrigues Barbosa Maria de Jesus Mendes da Fonseca Sobre os autores

Resumo

O objetivo foi descrever a evolução de curto prazo do índice de massa corporal (IMC) e analisar a associação entre este e variáveis sociodemográficas e de percepção familiar sobre a suficiência e o tipo dos alimentos consumidos em idosos brasileiros de ambos os sexos. Utilizaram-se dados das Pesquisas de Orçamentos Familiares (POF) coletados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em 2002/03 e em 2008/09. As prevalências de sobrepeso e obesidade aumentaram, e as de peso adequado e baixo peso diminuíram. Utilizaram-se modelos de regressão multinomial para 2008/09, a fim de analisar a associação entre o IMC e as características sociodemográficas e de percepção familiar sobre a suficiência e o tipo dos alimentos consumidos. Renda e idade se apresentaram mais associadas ao IMC. Sugere-se medidas de prevenção e monitoramento de saúde e nutrição por meio de políticas públicas, considerando a multifatorialidade do excesso de peso em idosos brasileiros.

Estado nutricional; Idoso; Inquéritos epidemiológicos; Índice de Massa Corporal

ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Av. Brasil, 4036 - sala 700 Manguinhos, 21040-361 Rio de Janeiro RJ - Brazil, Tel.: +55 21 3882-9153 / 3882-9151 - Rio de Janeiro - RJ - Brazil
E-mail: cienciasaudecoletiva@fiocruz.br