Influência da ambiência escolar no estado nutricional de pré-escolares de Macaé, Rio de Janeiro, Brasil

Ana Eliza Port Lourenço Juliana Lourenço Vieira Camilla Medeiros Macedo da Rocha Flávia Farias Lima Sobre os autores

Resumo

Objetivou-se avaliar a ambiência escolar e o estado nutricional de pré-escolares da rede pública de Macaé. Trata-se de um estudo transversal, com dados antropométricos secundários, coletados entre 2012 e 2014. Foram analisadas 962 crianças, de 2,1 a 6,6 anos, de quatro escolas, segundo recomendação da Organização Mundial da Saúde. A ambiência foi avaliada, qualitativamente, por observação direta. Por regressão logística, foi verificado se a chance de ocorrer desvios nutricionais diferia entre as escolas. A prevalência de excesso nutricional foi alarmante, principalmente nos menores de cinco anos (13,7%). Em crianças com cinco anos ou mais, as duas escolas, com ampla rede social de apoio no entorno, tiveram menor chance de ocorrer excesso nutricional (Odds Ratio de 0,40 e 0,33; p < 0,05). A escola com mais lanchonetes e propagandas de alimentos no território teve maior proporção de obesidade. Fatores positivos de ambiência dentro da escola, como ausência de cantina comercial, não conseguiram evitar o excesso nutricional. Este estudo adverte a respeito da relevância do entorno, sobretudo do apoio social. Esse é pouco abordado na literatura em nutrição, mas pode ser diferencial no perfil nutricional, em especial quando aspectos-chave de proteção no interior da escola estão adequados.

Estado nutricional; Saúde escolar; Pré-escolar; Meio ambiente e saúde pública; Apoio social

ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Av. Brasil, 4036 - sala 700 Manguinhos, 21040-361 Rio de Janeiro RJ - Brazil, Tel.: +55 21 3882-9153 / 3882-9151 - Rio de Janeiro - RJ - Brazil
E-mail: cienciasaudecoletiva@fiocruz.br