Fatores de risco e de proteção para doenças crônicas em adultos: um estudo de base populacional

Danielle Cristina Guimarães da Silva Wellington Segheto France Araújo Coelho Vanessa Guimarães Reis Sílvia Helena Oliveira Morais Milene Cristine Pessoa Giana Zarbato Longo Sobre os autores

Resumo

Este artigo descreve a frequência relativa de comportamentos de risco e de proteção para doenças crônicas não transmissíveis (DCNT) em adultos de Viçosa, Brasil. Foi realizado um estudo transversal de base populacional, incluindo 1226 adultos residentes do município. Utilizou-se um questionário estruturado, contendo questões sociodemográficas e comportamentais. Os fatores de risco/proteção avaliados foram: tabagismo, prática de atividade física, consumo abusivo de bebida alcóolica e consumo alimentar. A proporção dos fatores de risco/proteção foi calculada na população total, de acordo com sexo, escolaridade e nível socioeconômico. A população avaliada apresenta elevada frequência de fatores de risco para DCNT, como consumo abusivo de bebidas alcoólicas, hábito de consumir leite integral, ingerir carnes com gorduras visíveis, consumo regular de refrigerantes e 78,5% não atingiram a recomendação mínima para atividade física no lazer. Em relação aos fatores de proteção, 86,2% da população relataram consumir regularmente frutas e vegetais, e 73%, feijões. Verificou-se a maior frequência de fatores de riscos no sexo masculino, em indivíduos de menor idade e nível socioeconômico intermediário. Nesta população há urgência nas políticas públicas de planejamento municipal para mudar o atual cenário.

Palavras-chave
Fatores de risco; Doenças crônicas; Inquéritos epidemiológicos

ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Av. Brasil, 4036 - sala 700 Manguinhos, 21040-361 Rio de Janeiro RJ - Brazil, Tel.: +55 21 3882-9153 / 3882-9151 - Rio de Janeiro - RJ - Brazil
E-mail: cienciasaudecoletiva@fiocruz.br