Estudo sobre os riscos da profissão de estivador do Porto do Mucuripe em Fortaleza

Occupational risks among dock workers in the Port of Mucuripe, Fortaleza, Brazil

Francisco Fábio Gadelha Cavalcante Anna Caroline Nobre Gomes Francisco Roberto de Araújo Nogueira João Luís Melo de Farias João Maurício Ribeiro Pinheiro Emanuel Veras de Albuquerque Antônio Leomar Peixoto Farias Gabriel Barroso Cabral Francisco Alexandre Cunha Magalhães Márcia Gomide Sobre os autores

Os estivadores do Porto do Mucuripe são trabalhadores sem vínculo empregatício com a Companhia Docas do Ceará. Atuam no convés e no porão dos navios, fazendo o embarque, o desembarque e a organização dos contêineres. Neste ambiente de constante exposição a riscos, o médico do trabalho é fundamental na organização de planos de prevenção de acidentes, de educação dos trabalhadores e de monitorização dos riscos. O objetivo do artigo é caracterizar e conhecer o estivador, correlacionar o ambiente portuário e o seu processo produtivo com os fatores de risco e os agravos associados, bem como ressaltar a importância da medicina do trabalho para o controle de tais riscos. O trabalho de campo foi desenvolvido nos meses de janeiro e de fevereiro de 2003, com a aplicação de 60 questionários aos estivadores. A análise dos dados evidencia que os principais problemas de saúde inerentes à profissão de estivador são, entre outros, os distúrbios osteoarticulares (hérnia de disco e desgastes na articulação do joelho) e metabólicos (diabetes e hipertensão arterial). Estes se devem não só ao trabalho, mas também e, com grande influência, ao contexto de vida destes profissionais.

Estivador; Medicina do trabalho; Doenças ocupacionais


ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Av. Brasil, 4036 - sala 700 Manguinhos, 21040-361 Rio de Janeiro RJ - Brazil, Tel.: +55 21 3882-9153 / 3882-9151 - Rio de Janeiro - RJ - Brazil
E-mail: cienciasaudecoletiva@fiocruz.br