Incidência e prevalência de diabetes autorreferido em idosos do sul do Brasil: resultados do estudo EpiFloripa Idoso

Carla Elane Silva dos Santos Cassiano Ricardo Rech Danielle Ledur Antes Ione Jayce Ceolla Schneider Eleonora d’Orsi Tânia Rosane Bertoldo Benedetti Sobre os autores

Resumo

Este estudo investigou a prevalência e a incidência de diabetes autorreferido em idosos. Estudo longitudinal de base populacional (Estudo EpiFloripa Idoso), com 1.702 idosos em 2009/10 e 1197 em 2013/14, de Florianópolis, SC. Os dados autorrelatados e antropométricos foram coletados no domicílio. A prevalência de diabetes em 2009/10 foi de 22,1% (IC 95%: 20,1-24,1). As características associadas com a prevalência de diabetes foram: não possuir escolaridade formal (OR = 2,30; IC95% 1,32-4,00); ter 5 a 8 anos de estudo (OR = 1,70, IC95% 1,07-2,69); circunferência da cintura aumentada (OR = 3,31, IC95% 2,05-5,34) e hipertensão (OR = 2,38, IC95%: 1,68-3,36). A incidência de diabetes autorreferida após quatro anos de acompanhamento foi de 8,3% (IC95% 6,7-10,3), e apresentar circunferência da cintura aumentada (OR = 2,23, IC95% 1,09-4,57) na linha de base foi associado à incidência de diabetes. A prevalência e incidência de diabetes foram elevadas entre os idosos. Intervenções devem ser realizadas especialmente com idosos de baixa ou sem escolaridade formal, com maior circunferência da cintura e hipertensão, pois foram os subgrupos com maiores chances de relatar e desenvolver diabetes.

Palavras-chave
Idoso; Diabetes; Prevalência; Incidência; Fatores de risco

ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Av. Brasil, 4036 - sala 700 Manguinhos, 21040-361 Rio de Janeiro RJ - Brazil, Tel.: +55 21 3882-9153 / 3882-9151 - Rio de Janeiro - RJ - Brazil
E-mail: cienciasaudecoletiva@fiocruz.br