Exposição ocupacional e efeitos sobre o sistema reprodutor masculino

Um significativo aumento da incidência de infertilidade masculina tem sido descrito na literatura mundial, o que gera questionamentos sobre suas causas. Parte deste efeito pode dever-se à ação de substâncias tóxicas sintéticas sobre o sistema endócrino (endocrine disruptors ou interferentes endócrinos), sendo muitas delas utilizadas em processos laborais. Realizou-se revisão crítica da literatura especializada sobre fatores químicos de origem laboral capazes de provocar infertilidade masculina. Entre os principais endocrine disruptors que podem causar infertilidade masculina destacam-se agrotóxicos, como DDT, linuron e outros; metais pesados, como mercúrio, chumbo, cádmio e cobre; além de substâncias de utilidades variadas ou que correspondem a resíduos de processos industriais, como dioxinas, bifenilas policloradas, dibromoetileno, ftalatos, PVC e etanol. Disfunção gonadal e má formação congênita foram as principais alterações descritas como causadas por estas substâncias sobre o aparelho reprodutor masculino. Conclui-se que, apesar da escassez de estudos sobre o tema, a relevância do risco faz com que estes sejam estimulados, assim como que se tomem medidas preventivas para se evitar a exposição de trabalhadores a substâncias que carreiem tais riscos.

Infertilidade Masculina; Exposição Ocupacional; Sistema Endócrino


Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Rua Leopoldo Bulhões, 1480 , 21041-210 Rio de Janeiro RJ Brazil, Tel.:+55 21 2598-2511, Fax: +55 21 2598-2737 / +55 21 2598-2514 - Rio de Janeiro - RJ - Brazil
E-mail: cadernos@ensp.fiocruz.br