Fatores biológicos e ambientais associados ao risco de transmissão da esquistossomose mansoni na localidade de Porto de Galinhas, Pernambuco, Brasil

A esquistossomose se expande para o litoral de Pernambuco, Brasil, onde têm sido frequente os registros de caramujos Biomphalaria glabrata e de casos humanos da doença. Este estudo apresenta fatores relacionados ao risco de transmissão da esquistossomose na localidade de Porto de Galinhas. Durante um ano, foi conduzido um inquérito malacológico para identificar fatores biológicos, abióticos e ambientais relacionados aos criadouros dos moluscos hospedeiros. Para análise dos dados, foram utilizados os softwares Excel 2010, GTM Pro e ArcGis 10. Foram coletados 11.012 caramujos B. glabrata nos 36 criadouros identificados, sendo diagnosticados 11 focos de transmissão da esquistossomose. Foi verificada correlação negativa entre a temperatura dos criadouros, densidade e taxa de infecção dos caramujos e correlação positiva para pH e salinidade. O período de chuva apresentou correlação positiva com a densidade e taxa de infecção dos moluscos. O estudo enfatiza os fatores envolvidos na manutenção dos criadouros da esquistossomose visto à persistência dessa doença na localidade de Porto de Galinhas há mais de 10 anos.

Esquistossomose; Biomphalaria; Análise Espacial


Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Rua Leopoldo Bulhões, 1480 , 21041-210 Rio de Janeiro RJ Brazil, Tel.:+55 21 2598-2511, Fax: +55 21 2598-2737 / +55 21 2598-2514 - Rio de Janeiro - RJ - Brazil
E-mail: cadernos@ensp.fiocruz.br