Padrões de amamentação em Rio Branco, Acre, Brasil: um estudo sobre fatores associados com o desmame

O artigo apresenta um perfil preliminar das práticas alimentares em lactentes numa comunidade periurbana da Amazônia brasileira. Em 1996, foi entrevistada uma amostra aleatória de 180 famílias com pelo menos uma criança abaixo de cinco anos de idade, como parte de um inquérito materno-infantil realizado num bairro periférico de Rio Branco, Acre. Algumas famílias tinham mais de uma criança abaixo de cinco anos, de maneira que os dados foram coletados para um total de 250 crianças. Os resultados indicam que a amamentação inicial é quase universal: 96,0% das mulheres amamentam os filhos no período neonatal. Entretanto, algumas mães interrompem o aleitamento antes da idade recomendada. Quarenta e cinco por cento dos lactentes são desmamados antes dos seis meses de idade, e 62,0% antes dos 12 meses. O inquérito revelou também que as mães dão alimentação suplementar, tanto sólida quanto líquida, numa idade ainda precoce. Finalmente, embora as mães tenham alegado vários motivos para a interrupção do aleitamento, a resposta mais comum (42,0%) era a recusa do seio pela criança. O significado e as implicações desta resposta merecem mais investigação a fim de orientar as políticas de saúde pública relativas à alimentação infantil.

Aleitamento Materno; Desmame; Nutrição Infantil


Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Rua Leopoldo Bulhões, 1480 , 21041-210 Rio de Janeiro RJ Brazil, Tel.:+55 21 2598-2511, Fax: +55 21 2598-2737 / +55 21 2598-2514 - Rio de Janeiro - RJ - Brazil
E-mail: cadernos@ensp.fiocruz.br