Enteropatógenos associados com diarréia infantil (< 5 anos de idade) em amostra da população da área metropolitana de Criciúma, Santa Catarina, Brasil

Enteropathogens associated with diarrheal disease in infants (< 5 years old) in a population sample in Greater Metropolitan Criciúma, Santa Catarina State, Brazil

Resumos

Foi investigada a presença de enteropatógenos em 94 casos de diarréia e 45 casos-controle em crianças de 0 a 5 anos de idade, atendidas no Centro de Saúde Municipal de Criciúma, Santa Catarina. Entre os parasitos isolados, o Cryptosporidium (85,1%) foi o mais freqüente, seguido pela Entamoeba histolytica (56,4%) e a Giardia lamblia (4,3%). Quatro amostras apresentaram Escherichia coli enteropatogênica (4,3%). A Samonella e a Shiguella não foram detectadas em nenhuma amostra. Somente um caso foi positivo para o rotavírus (1,1%).

Diarréia; Parasitos; Enteropatias; Saúde Infantil


Enteropathogens were investigated in 94 children with diarrhea and 45 age-matched controls, 0 to 5 years old, attending an outpatient unit in Criciúma, Santa Catarina State, Brazil. Cryptosporidium (85.1%) topped the list of parasite isolates, followed by Entamoeba histolytica (56.4%) and Giardia lamblia (4.3%). Four samples contained enteropathogenic Escherichia coli (4.3%). Samonella and Shiguella were not detected. Only one sample contained rotavirus (1.1%).

Diarrhea; Parasites; Intestinal Diseases; Child Health


NOTA RESEARCH NOTE

Enteropatógenos associados com diarréia infantil (< 5 anos de idade) em amostra da população da área metropolitana de Criciúma, Santa Catarina, Brasil

Enteropathogens associated with diarrheal disease in infants (< 5 years old) in a population sample in Greater Metropolitan Criciúma, Santa Catarina State, Brazil

Felice Jaqueline SchnackI; Lidiani de Medeiros FontanaI; Paulo Roberto BarbosaI; Loraine Storch Meyer da SilvaI; Clair Maria Martinello BaillargeonI; Tatiana BarichelloI; Marinete Marins PóvoaII; Carlos Eugênio CavasiniIII; Ricardo Luiz Dantas MachadoI, III

IDepartamentos de Farmácia, Medicina e Ciências Biológicas, Universidade do Extremo Sul Catarinense. Av. Universitário 1165, Criciúma, SC 88090-000, Brasil

IISeção de Parasitologia, Instituto Evandro Chagas. Av. Almirante Barroso 492, Belém, PA 66090-000, Brasil

IIIDepartamento de Doenças Dermatológicas, Infecciosas e Parasitárias, Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto. Av. Brigadeiro Faria Lima 5416, São José do Rio Preto, SP 15090-000, Brasil. E-mail: ricardomachado@famerp.br

RESUMO

Foi investigada a presença de enteropatógenos em 94 casos de diarréia e 45 casos-controle em crianças de 0 a 5 anos de idade, atendidas no Centro de Saúde Municipal de Criciúma, Santa Catarina. Entre os parasitos isolados, o Cryptosporidium (85,1%) foi o mais freqüente, seguido pela Entamoeba histolytica (56,4%) e a Giardia lamblia (4,3%). Quatro amostras apresentaram Escherichia coli enteropatogênica (4,3%). A Samonella e a Shiguella não foram detectadas em nenhuma amostra. Somente um caso foi positivo para o rotavírus (1,1%).

Palavras-chave: Diarréia; Parasitos; Enteropatias; Saúde Infantil

ABSTRACT

Enteropathogens were investigated in 94 children with diarrhea and 45 age-matched controls, 0 to 5 years old, attending an outpatient unit in Criciúma, Santa Catarina State, Brazil. Cryptosporidium (85.1%) topped the list of parasite isolates, followed by Entamoeba histolytica (56.4%) and Giardia lamblia (4.3%). Four samples contained enteropathogenic Escherichia coli (4.3%). Samonella and Shiguella were not detected. Only one sample contained rotavirus (1.1%).

Key words: Diarrhea; Parasites; Intestinal Diseases; Child Health

Em populações infantis expostas a altos riscos de aquisição de infecções intestinais, a diarréia se torna o segundo motivo de consultas em ambulatórios médicos. No Brasil, a maior casuística ocorre na região nordeste (Lima et al., 2000). Embora muitos enteropatógenos sejam incriminados na diarréia, o rotavírus tem sido reconhecido como a sua principal causa em crianças em todo o mundo. Algumas bactérias têm sido responsáveis por gastroenterites (El-Sheikh & El-Assouli, 2001) e, agentes parasitários também têm sido associados a esta nosologia (Chunge et al., 1991). A diversidade geográfica, climática, econômica e social do Brasil pode refletir-se na variedade de enteropatógenos nas diferentes áreas endêmicas. Este trabalho objetiva estudar a etiologia da diarréia infantil em amostra da população da área metropolitana de Criciúma, Santa Catarina.

Foram analisadas 94 amostras fecais de crianças (< 5 anos de idade), portadoras de diarréia (menos de sete dias), sem tratamento prévio e 45 amostras fecais de crianças de mesma faixa etária não portadoras de diarréia, atendidas no Centro de Saúde Municipal de Saúde de Criciúma (fevereiro a maio de 2002). Todas as amostras de fezes foram coletadas, transportadas em gelo e processadas dentro de quatro horas após a coleta. Uma alíquota de cada espécime fecal foi congelada para a pesquisa de rotavírus, Giardia lamblia, Entamoeba histolytica e Cryptosporidium. A pesquisa do coproantígeno dos protozoários foi efetuada pelo teste de ELISA (Alexon, Inc., BIOBRÁS). Já para o rotavírus foi realizado o teste de aglutinação (Biolab Merièux). Culturas bacterianas foram feitas para Salmonella, Shiguella e Escherichia coli em meio de MacConkey's, EMB e SS. As culturas com colônias sugestivas foram caracterizadas por análise bioquímica e sorológica (PROBAC). Para a significância estatística recorreu-se ao teste do c2 (Epi Info 6.0). O nível de segurança para inferência estatística foi de 5%.

Um total de 95,7% das amostras fecais diarréicas foi positiva para um ou mais enteropatógenos. Foram encontradas infecções mistas em 53% dos casos de diarréia. A freqüência dos enteropatógenos nas amostras diarréicas está sumariada na Tabela 1. Nas 45 amostras não diarréicas nenhuma bactéria e rotavírus foram detectados, enquanto foi observado positividade de 2,9% para a G. lamblia e 2,5% para a E. histolytica.

A utilização de teste imunoenzimático para pesquisa de coproantígenos é indicada em estudos epidemiológicos para o diagnóstico coletivo ou de populações e em casos isolados com clínica sugestiva e as metodologias microscópicas são inconclusivas (Chapman et al., 1990; Machado et al., 2001; Póvoa et al., 2000). O Cryptosporidium é a causa mais comum de diarréia entre as crianças admitidas, mesmo em associação com outros enteropatógenos. Estes resultados demonstram a importância da investigação de rotina deste parasito. A prevalência da E. histolytica varia em diferentes localidades (Khan et al., 1986; Ruiz-Pelaz & Mattar, 1999), sendo incriminada também em processos diarréicos infantis. Neste estudo, foi a segunda causa de diarréia, sempre associada com outros enteropatógenos. A Giardia lamblia tem sido associada com episódios diarréicos em inquéritos epidemiológicos, apesar de não ser uma importante causa de diarréia em crianças (Newman et al., 2001). Na população amostral avaliada, a freqüência encontrada não permite incriminá-la como um agente de significante expressão para diarréias entre as crianças estudadas. A baixa freqüência desta infecção pode estar relacionada ao fato de termos utilizado uma única amostra fecal, visto que a eliminação das formas parasitárias deste protozoário é intermitente. No entanto, acreditamos que ocorrência deste parasito seja realmente pequena, já que os resultados encontrados no grupo-controle foram próximos e, que este parasito apresentou, também, freqüências similares (3,4%) em pacientes não diarréicos em estudo anterior (Patrício et al., 2002).

A Escherichia coli enteropatogênica não tem sido encontrada na maioria dos países industrializados (Prado et al., 1984). No Estado de São Paulo, é o principal agente patogênico observado em crianças (Medeiros et al., 2001); entretanto, algumas evidências sugerem que elas não são muitos freqüentes em pequenas cidades e áreas rurais (Lima et al., 2001).

Estudos em diferentes regiões do Brasil mostram variadas taxas relativas à prevalência das diarréias causadas pelo rotavírus entre crianças (Linhares, 2000). Os resultados deste estudo podem estar associados à distribuição sazonal das gastroenterites pelo rotavírus nas regiões Centro-Oeste e Sudeste/Sul brasileiras. A maior incidência deste enteropatógeno ocorre nos meses de maio a setembro, período mais seco destas regiões (Pereira et al., 1993).

Os resultados deste trabalho nos permitem concluir que a alta prevalência de parasitos entre as crianças diarréicas pode ser um significante problema de saúde pública no Município de Criciúma. Novas investigações devem ser realizadas com o objetivo de detectar outros possíveis enteropatógenos e, especialmente, o levantamento de condições ambientais e de fatores de risco associados às diarréias.

Agradecimentos

Os autores agradecem aos pais e responsáveis dos participantes deste estudo e aos funcionários do Laboratório de Análises Clínicas do Centro de Saúde do Município de Criciúma. À Professora Dra. Andréa Regina Rossit pela leitura crítica do manuscrito. Este estudo recebeu apoio financeiro da Body Shop Foundation.

Recebido em 12 de setembro de 2002

Versão final reapresentada em 21 de fevereiro de 2003

Aprovado em 24 de março de 2003

  • CHAPMAN, P. A.; RUSH, B. A. & McLAUCHLIN, J., 1990. An enzyme immunoassay for detecting Cryptosporidium in faecal and environmental samples. Journal of Medical Microbiology, 32:233.
  • CHUNGE, R. N.; NAGELKERKE, N.; KARUMBA, P. N.; KALELI, N.; WAMWEA, M.; MUTISO, N.; ANDALA, E. O.; GACHOYA, J.; KIARIE, R. & KINOTI, S. N., 1991. Longitudinal study of young children in Kenya: intestinal parasitic infection with special reference to Giardia lamblia, its prevalence, incidence and duration, and, its association with diarrhoea and with other parasites. Acta Tropica, 50:39-49.
  • EL-SHEIKH, S. M. & EL-ASSOULI, S. M., 2001. Prevalence of viral, bacterial and parasitic enteropathogens among young children with acute diarrhoea in Jeddah, Saudi Arabia. Journal of Health, Population, and Nutrition, 19:25-30.
  • KHAN, M. U.; SHAHIDULLAH, M.; BARUA, D. K. & BEGUM, T., 1986. Efficacy of periodic deworming in an urban slum population for parasite control. Indian Journal of Medicine Research, 83:82-88.
  • LINHARES, A. C., 2000. Epidemiologia das infecções por rotavírus no Brasil e os desafios para o seu controle. Cadernos de Saúde Pública, 16:629-646.
  • LIMA, A. A. M.; MOORE, S. R.; BARBOSA Jr., M. S.; SOARES, A. M.; SCHLEUPNER, M. A.; NEWMAN, R. D.; SEARS, C. L.; NATARATO, J. P.; FEDORORKO, D. P.; WUHIB, T.; SHORLING, J. B. & GUERRANT, R. L., 2000. Persistent diarrhea signals a critical period of increased diarrhea burdens and nutritional shortfalls: A prospective cohort study among children in Northeastern Brazil. Journal of Infectious Diseases, 181:1643-1651.
  • MACHADO, R. L. D.; FIGUEREDO, M. C.; FRADE, A. F.; KUDÓ, M. E.; SILVA FILHO, M. G. & PÓVOA, M. M., 2001. Comparação de quatro métodos laboratoriais para diagnóstico da Giardia lamblia em fezes de crianças residentes em Belém, Pará. Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical, 34:91-93.
  • MEDEIROS, M. I. C.; NEME, S. N.; SILVA, P.; CAPUANO, D. M.; ERRERA, M. C.; FERNANDES, S. A.; VALLE, G. R. & ÁVILA, F. A., 2001. Etiology of acute diarrhea among children in Ribeirão Preto-SP, Brazil. Revista do Instituto de Medicina Tropical de São Paulo, 43:21-24.
  • NEWMAN, R. D.; MOORE, S. R.; LIMA, A. A.; NATARO, J. P.; GUERRANT, R. L. & SEARS, C. L. A., 2001. Longitudinal study of Giardia lamblia infection in northeast Brazilian children. Tropical Medicine & International Health, 6:624-634.
  • PATRÍCIO, H. C.; TCHAIK, R. M.; BARBOSA, P. R. & MACHADO, R. L. D., 2002. Parasitoses intestinais em Criciúma/SC: Maio novembro/2001. Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical, 35(Sup. 1):262.
  • PEREIRA, H. G.; LINHARES, A. C.; CANDEIAS, J. A. N. & GLASS, R. I., 1993. National laboratory surveillance of viral agents of gastroenteritis in Brazil. Bulletin of the Pan American Health Organization, 27:224-233.
  • PÓVOA, M. M.; ARRUDA, J. E. G.; SILVA, M. C. M.; BICHARA, C. N. C.; ESTEVES, P.; GABBAY, Y. B. & MACHADO, R. L. D., 2000. Diagnóstico de amebíase intestinal utilizando métodos coproscópicos e imunológicos em amostra da área metroplitana de Belém, Pará, Brasil. Cadernos de Saúde Pública, 16:843-846.
  • PRADO, V. J.; BRAUN, S. J.; BOSH, P. O.; BERCOVICH, M. W.; REYES, T. M. L. M. & SAVADA, M. T., 1984. Analisis de Escherichia coli enteropatogeno classico (ECEP) como causa endemica de diarreia aguda en ninos chilenos. Revista Chilena de Pediatría, 55:171-175.
  • RUIZ-PELAEZ, J. G. & MATTAR, S., 1999. Accuracy of fecal lactoferrin and other stool tests for diagnosis of invasive diarrhea at a Colombian pediatric hospital. Pediatric Infectious Disease Journal, 18: 342-346.

Datas de Publicação

  • Publicação nesta coleção
    05 Set 2003
  • Data do Fascículo
    Ago 2003

Histórico

  • Recebido
    12 Set 2002
  • Revisado
    21 Fev 2003
  • Aceito
    24 Mar 2003
Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Rua Leopoldo Bulhões, 1480 , 21041-210 Rio de Janeiro RJ Brazil, Tel.:+55 21 2598-2511, Fax: +55 21 2598-2737 / +55 21 2598-2514 - Rio de Janeiro - RJ - Brazil
E-mail: cadernos@ensp.fiocruz.br