Fatores associados ao uso do preservativo entre mulheres de uma área urbana no Sul do Brasil

Mariângela Freitas da Silveira Iná Silva dos Santos Jorge Umberto Béria Bernardo Lessa Horta Elaine Tomasi Cesar Gomes Victora Sobre os autores

Este estudo investigou a prevalência de fatores associados com o uso de preservativos na última relação sexual em mulheres de 15-49 anos de idade, de uma amostra probabilística da área urbana de Pelotas, Sul do Brasil. Um questionário administrado por uma entrevistadora investigou características sócio-econômicas e hábitos pessoais e outro, auto-aplicado, foi utilizado para investigar variáveis relacionadas ao comportamento sexual. Na análise dos dados foi utilizada a regressão de Poisson, segundo um modelo hierárquico, com 1.543 mulheres incluídas, sendo as perdas e recusas de 3,5%. A prevalência do uso de preservativos na última relação sexual foi de 28,0%. Esse uso esteve associado positivamente com menor idade, maior escolaridade, cor não branca, ser solteira e ter tido maior número de parceiros nos últimos três meses. Sugere que o grupo mais vulnerável a DST/AIDS devido ao não uso de preservativos são as mulheres brancas, adultas, em uniões estáveis e com menos parceiros sexuais.

Síndrome de Imunodeficiência Adquirida; Doenças Sexualmente Transmissíveis; Comportamento Sexual; Saúde da Mulher; Fatores de Risco


Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Rua Leopoldo Bulhões, 1480 , 21041-210 Rio de Janeiro RJ Brazil, Tel.:+55 21 2598-2511, Fax: +55 21 2598-2737 / +55 21 2598-2514 - Rio de Janeiro - RJ - Brazil
E-mail: cadernos@ensp.fiocruz.br