O enfrentamento das desigualdades sociais e de gênero entre idosos no Canadá

No Canadá, os idosos gozam de segurança econômica e de boa saúde e têm experimentado ganhos substanciais nas últimas décadas; no entanto, esse bem-estar não é compartilhado de maneira eqüitativa entre grupos sócio-econômicos de idosos, nem entre homens e mulheres. Nas faixas etárias mais jovens, o nível de renda prediz o estado de saúde nas fases de vida subseqüentes, mas essa correlação é menos forte do que na própria terceira idade. As diversas explicações incluem a preponderância do próprio envelhecimento biológico e os efeitos subjetivos da perda de renda associada à aposentadoria, além da atenuação das diferenças sócio-econômicas em função da aposentadoria mínima garantida pelo estado. Comparadas aos homens, as mulheres idosas têm maior probabilidade de envelhecer em situação de pobreza, de viver sozinhas e de depender de assistência médica crônica e de serviços sociais sem recursos adequados. Pode-se esperar que essas diferenças persistam na próxima coorte de idosos canadenses. O enfrentamento das disparidades em saúde requer uma abordagem abrangente e multi-setorial que esteja incorporada ao modelo populacional de saúde do Canadá. A aplicação desse modelo é analisada no sentido de reduzir as disparidades, citando as principais estratégias da abordagem populacional à saúde, além de iniciativas recentes do governo federal canadense e medidas recomendadas ao governo por comissões federais.

Eqüidade; Gênero; Envelhecimento; Condições Sociais


Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Rua Leopoldo Bulhões, 1480 , 21041-210 Rio de Janeiro RJ Brazil, Tel.:+55 21 2598-2511, Fax: +55 21 2598-2737 / +55 21 2598-2514 - Rio de Janeiro - RJ - Brazil
E-mail: cadernos@ensp.fiocruz.br