Perfil sociodemográfico de mulheres primíparas de nove coortes de nascimentos em três cidades brasileiras

Simone Farias-Antunez Vanda Maria Ferreira Simões Viviane Cunha Cardoso Mariângela Freitas da Silveira Sobre os autores

A redução na taxa de fertilidade é um fenômeno observado na transição demográfica. As mudanças demográficas na fertilidade feminina criam a necessidade de ajustes nos serviços de saúde em termos de saúde da mulher e planejamento familiar. Assim, o estudo buscou realizar uma análise descritiva, traçando o perfil sociodemográfico de mães primíparas em nove coortes de nascimentos, de três cidades em estados diferentes do Brasil. Foram aplicados questionários padronizados para avaliar as características reprodutivas e covariáveis. As mães primíparas foram definidas como mulheres cujos filhos incluídos nas coortes de nascimentos eram os seus primogênitos. A descrição da amostra foi realizada com a análise de variância (variáveis contínuas) e qui-quadrado (variáveis categóricas). Um total de 44.615 mulheres foram incluídas nas análises, e 41,8% (IC95%: 41,3; 42,2) foram categorizadas como primíparas. As taxas de primiparidade foram mais baixas em Ribeirão Preto (São Paulo) em 1978 (32%; IC95%: 30,9; 33,1), e as mais altas foram nas coortes mais recentes, atingindo 50% das participantes (São Luís - Maranhão, 2010: 47,2%; IC95%: 45,8; 48,6; Ribeirão Preto, 2010: 50,2%; IC95%: 49,1; 51,4); Pelotas (Rio Grande do Sul) 2015: 49,4% (IC95%: 47,9; 50,9). A idade e escolaridade das primíparas aumentaram ao longo dos anos em todas as coortes. A idade materna no primeiro parto mostrou perfil semelhante nas três cidades. Houve um aumento na proporção de primíparas mais velhas, com maior escolaridade e pertencentes aos estratos econômicos mais altos. Além disso, a proporção de mães adolescentes (até 15 anos de idade) aumentou até o início da década de 2000 e começou a diminuir em torno dos anos 2010, especialmente entre mulheres nos grupos de menor renda.

Palavras-chave:
Paridade; Gravidez; Gravidez na Adolescência; Fatores Socioeconômicos


Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Rua Leopoldo Bulhões, 1480 , 21041-210 Rio de Janeiro RJ Brazil, Tel.:+55 21 2598-2511, Fax: +55 21 2598-2737 / +55 21 2598-2514 - Rio de Janeiro - RJ - Brazil
E-mail: cadernos@ensp.fiocruz.br