Uma abordagem ecossistêmica à avaliação sócio-cultural da dengue em duas cidades da Colômbia

Roberto Suárez Catalina González Gabriel Carrasquilla Juliana Quintero Sobre os autores

Apesar dos esforços de saúde pública, a dengue continua sendo uma grande preocupação de saúde na Colômbia. O objetivo deste estudo é de fornecer uma perspectiva ecossistêmica e transdisciplinar em relação à situação da dengue em duas cidades colombianas. O foco principal do artigo é a apresentação da metodologia antropológica e dos achados da pesquisa. Uma equipe multidisciplinar coletou dados quantitativos (transversais), meteorológicos, entomológicos e qualitativos data (baseados na antropologia médica), através de trabalho de campo e pesquisa de arquivos. Com base nos dados qualitativos, a dengue pode ser descrita como ponto de convergência entre políticas de saúde pública, a população afetada, o meio ambiente e a dinâmica social gerada por essa interação. A dengue é um bom exemplo de uma doença com impacto negativo sobre a saúde pública, mas com a qual os indivíduos em um país como a Colômbia aprenderam a lidar e conviver. A prevalência da dengue e sua presença histórica persistente tornaram a doença parte da vida cotidiana da comunidade, vista como um problema de saúde menor.

Dengue; Ecossistema; Doenças Transmissíveis


Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Rua Leopoldo Bulhões, 1480 , 21041-210 Rio de Janeiro RJ Brazil, Tel.:+55 21 2598-2511, Fax: +55 21 2598-2737 / +55 21 2598-2514 - Rio de Janeiro - RJ - Brazil
E-mail: cadernos@ensp.fiocruz.br