O conhecimento da contracepção de emergência afeta seu uso entre adolescentes do Ensino Médio do Brasil?

Christiane Borges do Nascimento Chofakian Ana Luiza Vilela Borges Ana Paula Sayuri Sato Gizelton Pereira Alencar Osmara Alves dos Santos Elizabeth Fujimori Sobre os autores

Resumo

O objetivo do trabalho foi testar como o conhecimento da anticoncepção de emergência, na presença da idade de iniciação sexual, tipo de escola e conhecer alguém que já usou a anticoncepção de emergência, influencia no uso deste método. Estudo transversal realizado com uma amostra probabilística com estudantes de 15-19 anos, matriculados no Ensino Médio de escolas públicas e privadas em uma cidade de porte médio do Sudeste do Brasil (n = 307). Os dados foram coletados em 2011, por meio de um questionário autoadministrado. Modelo de equações estruturais foi usado para análise de dados. Considerando a idade de iniciação sexual e o tipo de escola, o conhecimento da anticoncepção de emergência não foi associado com o seu uso, no entanto, conhecer alguém que já tinha usado o método mostrou um efeito médio significativo no uso da anticoncepção de emergência. Parece que as conversas a respeito do uso da anticoncepção de emergência nas relações sociais, como o grupo de pares, têm maior influência sobre a utilização do método do que o próprio conhecimento, situação econômica ou experiência sexual.

Anticoncepção Pós-Coito; Saúde Sexual e Reprodutiva; Saúde do Adolescente

Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Rua Leopoldo Bulhões, 1480 , 21041-210 Rio de Janeiro RJ Brazil, Tel.:+55 21 2598-2511, Fax: +55 21 2598-2737 / +55 21 2598-2514 - Rio de Janeiro - RJ - Brazil
E-mail: cadernos@ensp.fiocruz.br