O significado cultural dos dentes decíduos para cuidadoras no Nordeste do Brasil

Marilyn K Nations Paola Gondim Calvasina Michele N Martin Hilma Fontenele Dias Sobre os autores

Este estudo antropológico analisa a produção simbólica de cuidadoras brasileiras sobre a sua dentição e a de seus filhos desnutridos, descrevendo práticas populares de cuidados em saúde bucal. De janeiro a junho de 2004, foram conduzidas entrevistas etnográficas com 27 cuidadoras, numa instituição pública, no tratamento de desnutrição em Fortaleza, Ceará. A observação participante da dinâmica de atendimento e do ambiente domiciliar suplementaram os dados. Foi utilizada a análise temática. Os resultados confirmam que os dentes decíduos são imbuídos de significados culturais no nordeste brasileiro. As mães examinam as bocas dos filhos, percebem sinais de cárie, associam dentes decíduos saudáveis com permanentes hígidos, identificam enfermidades etnodentárias, procuram assistência e praticam rituais com dente decíduo esfoliado. A motivação das mães para o cuidado com dente decíduo é envolvida por experiências de dor de dente e tentativas de evitar estigma e discriminação. Dificuldades de acesso, serviços precários, pobreza e desigualdade social colocam em risco a saúde bucal das crianças e não crenças e comportamentos maternos. A legitimação do conhecimento de cuidadoras e seu empoderamento podem melhorar a saúde bucal no nordeste brasileiro.

Dente Decíduo; Comportamento Materno; Antropologia Cultural


Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Rua Leopoldo Bulhões, 1480 , 21041-210 Rio de Janeiro RJ Brazil, Tel.:+55 21 2598-2511, Fax: +55 21 2598-2737 / +55 21 2598-2514 - Rio de Janeiro - RJ - Brazil
E-mail: cadernos@ensp.fiocruz.br