Polimorfismos genéticos e metabolismo dos desreguladores endócrinos na suscetibilidade ao câncer

Ana Hatagima Sobre o autor

Estudos epidemiológicos estimam que cerca de 80% dos cânceres estão relacionados a fatores ambientais. A suscetibilidade individual ao câncer pode resultar de vários fatores relacionados ao metabolismo de xenobióticos, reparo do DNA, expressão de genes supressores de tumor e protoncogenes e estado nutricional. O metabolismo é o principal mecanismo para manter a homeostasia durante a exposição dos organismos aos xenobióticos. O equilíbrio das taxas de absorção e eliminação dos xenobióticos tem um papel importante na prevenção de danos no DNA, provocados por carcinógenos químicos. Sendo assim, a habilidade de metabolizar e eliminar os xenobióticos pode ser considerada uma das primeiras linhas de defesa dos organismos. Variações no metabolismo individual têm sido relacionadas aos polimorfismos enzimáticos, envolvidos na ativação e desintoxicação de carcinógenos químicos. Neste trabalho, é realizada uma revisão da literatura contemporânea sobre os polimorfismos genéticos envolvidos no metabolismo de desreguladores endócrinos, potencialmente associados ao desenvolvimento do câncer.

Neoplasias; Polimorfismos (Genética); Xenobióticos; Desreguladores Endócrinos


Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Rua Leopoldo Bulhões, 1480 , 21041-210 Rio de Janeiro RJ Brazil, Tel.:+55 21 2598-2511, Fax: +55 21 2598-2737 / +55 21 2598-2514 - Rio de Janeiro - RJ - Brazil
E-mail: cadernos@ensp.fiocruz.br