Fauna de flebotomíneos (Diptera, Psychodidae) em área de transmissão de leishmaniose tegumentar americana no norte do Estado do Espírito Santo, Brasil

Thieres Marassati das Virgens Claudiney Biral dos Santos Israel de Souza Pinto Kleber Silveira da Silva Fernanda Cristina Leal Aloísio Falqueto Sobre os autores

A leishmaniose tegumentar americana é endêmica e amplamente distribuída no Estado do Espírito Santo, Brasil. Com o objetivo de avaliar a composição da fauna de flebotomíneos e verificar a flutuação sazonal, foram realizadas capturas mensais com armadilhas Shannon modificadas em reserva florestal de Mata Atlântica (Reserva Biológica de Sooretama) e ambiente antrópico adjacente, no período de junho de 2004 a maio de 2006. Foram capturados 6.176 espécimes, dos quais 47,4% ocorreram no ambiente florestal e 52,6%, no ambiente antrópico. Lutzomyia davisi (60,8%) predominou no ambiente florestal e Lu. choti (72%) seguida de Lu. intermedia (24,3%) predominaram no ambiente antrópico. As três espécies ocorreram ao longo de todo o ano. Os dados indicam que Lu. intermedia provavelmente atue como principal vetor domiciliar de Leishmania na área de estudo.

Leishmaniose; Psychodidae; Ecologia de Vetores


Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Rua Leopoldo Bulhões, 1480 , 21041-210 Rio de Janeiro RJ Brazil, Tel.:+55 21 2598-2511, Fax: +55 21 2598-2737 / +55 21 2598-2514 - Rio de Janeiro - RJ - Brazil
E-mail: cadernos@ensp.fiocruz.br