Desigualdades socioeconômicas e demográficas como fatores de risco para a artrite autorreferida: estudo de base populacional em adultos no Sul do Brasil

Socioeconomic and demographic inequalities as risk factors for self-reported arthritis: a population-based study in southern Brazil

Estimar a prevalência de artrite ou reumatismo autorreferido e os fatores associados. Realizou-se um estudo transversal de base populacional em Florianópolis, Santa Catarina, Brasil, com 1.720 adultos entre 20 e 59 anos. A presença de artrite ou reumatismo autorreferido foi analisada por meio do modelo hierárquico de determinação no nível demográfico, socioeconômico, comportamental e uso de serviços de saúde. Utilizou-se análise de regressão logística para avaliar a associação entre as variáveis. A prevalência de artrite ou reumatismo autorreferido foi de 7,7% (IC95%: 6,4-8,9). A chance de artrite ou reumatismo autorreferido foi duas vezes maior entre as mulheres, maior entre aqueles com índice de massa corporal (IMC) > 30kg/m²,diretamente proporcional à idade e inversamente proporcional à escolaridade. A prevalência de artrite ou reumatismo autorreferido foi maior do que a estimativa nacional no ano de 2008. Essa realidade sugere a necessidade de um planejamento de políticas públicas voltado para esse agravo de saúde.

Artrite; Doenças Reumáticas; Adulto; Prevalência


Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Rua Leopoldo Bulhões, 1480 , 21041-210 Rio de Janeiro RJ Brazil, Tel.:+55 21 2598-2511, Fax: +55 21 2598-2737 / +55 21 2598-2514 - Rio de Janeiro - RJ - Brazil
E-mail: cadernos@ensp.fiocruz.br