Desempenho funcional de idosos nas atividades instrumentais da vida diária: uma análise no Município de São Paulo, Brasil

Jair Licio Ferreira Santos Maria Lucia Lebrão Yeda Aparecida Oliveira Duarte Fernão Dias de Lima Sobre os autores

As alterações que ocorrem no envelhecimento são acompanhadas por limitações no desempenho funcional que comprometem a participação social da pessoa idosa, conseqüentemente prejudicando sua qualidade de vida. No Estudo SABE (São Paulo, Brasil), os resultados apontaram relações entre a esperança de vida sem incapacidades e variáveis demográficas e sociais. Neste artigo buscou-se uma avaliação conjunta dessas e outras variáveis como explanadoras da presença ou não de dificuldades em atividades instrumentais da vida diária diretamente relacionadas com a possibilidade de uma participação comunitária mais eficiente. Foram consideradas cinco das oito questões relativas às atividades instrumentais da vida diária, aplicadas à amostra de 2.143 idosos do Município de São Paulo, em 2000. Razões de chance foram calculadas por regressão logística. Todas as variáveis sócio-demográficas analisadas (idade, renda, etnia, escolaridade e sexo) com exceção de "suficiência de dinheiro" foram significantes, bem como todas as variáveis do grupo "saúde" (uma, duas ou mais doenças referidas e depressão). As duas outras variáveis que entraram no modelo foram atividade física e consumo de álcool.

Atividades Cotidianas; Qualidade de Vida; Idoso Débil; Envelhecimento


Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Rua Leopoldo Bulhões, 1480 , 21041-210 Rio de Janeiro RJ Brazil, Tel.:+55 21 2598-2511, Fax: +55 21 2598-2737 / +55 21 2598-2514 - Rio de Janeiro - RJ - Brazil
E-mail: cadernos@ensp.fiocruz.br