Dengue no Sudeste Asiático: características epidemiológicas e desafios estratégicos na prevenção da doença

A dengue emergiu como problema de saúde pública no Sudeste Asiático durante e após a Segunda Guerra Mundial, e vem se agravando cada vez mais, com epidemias cíclicas progressivamente mais longas e freqüentes de dengue e de febre hemorrágica da dengue. Apesar dessa tendência, a vigilância dessa virose transmitida por vetores permanece basicamente passiva na maioria dos países do Sudeste Asiático, sem apoio laboratorial adequado. O artigo apresenta uma revisão dos fatores que podem ter contribuído para a mudança no perfil epidemiológico da dengue na região, além de discutir os desafios para a prevenção da doença. Analisa-se também uma abordagem regional para a vigilância ativa dos vírus da dengue, focando as áreas urbanas onde eles se mantêm, o que pode representar uma solução à limitação de recursos financeiros, uma vez que a maioria dos países da região tem economias em desenvolvimento. Uma abordagem regional também resultaria em maior probabilidade de sucesso na prevenção da doença, já que a grande circulação de viajantes na região é um fator importante na disseminação dos vírus da dengue.

Dengue; Prevenção de Doenças; Doenças Transmissíveis


Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Rua Leopoldo Bulhões, 1480 , 21041-210 Rio de Janeiro RJ Brazil, Tel.:+55 21 2598-2511, Fax: +55 21 2598-2737 / +55 21 2598-2514 - Rio de Janeiro - RJ - Brazil
E-mail: cadernos@ensp.fiocruz.br