Níveis de estresse, ansiedade e depressão na primeira fase do surto de COVID-19 em uma amostra no norte da Espanha

Naiara Ozamiz-Etxebarria Maria Dosil-Santamaria Maitane Picaza-Gorrochategui Nahia Idoiaga-Mondragon Sobre os autores

Em março de 2020, o vírus SARS-CoV-2, procedente da China, chegou à Espanha e desde 14 de março está declarado estado de emergência em todo o país, forçando toda a população ao confinamento. O presente estudo foi conduzido no País Basco (norte da Espanha). Foram analisados os níveis de estresse, ansiedade e depressão desde a introdução do vírus e os níveis de sintomas psicológicos segundo idade, comorbidades e confinamento. A amostra foi composta de 976 indivíduos e a medição das variáveis ansiedade, estresse e depressão foi realizada a partir do intrumento DASS (Escala de Depressão, Ansiedade e Estresse). Os resultados mostram que, ainda que os níveis de sintomas tenham sido baixos no início do confinamento, os indivíduos mais jovens e com comorbidades referiram mais sintomas que o restante da população. Também se detectou maior nível de sintomas desde o confinamento, quando a população foi proibida de sair de suas casas. Se prevê aumento dos sintomas conforme o confimaneto continuar. Intervenções psicológicas de prevenção e tratamento são necessárias para diminuir o impacto psicológico causado pela pandemia.

Palavras-chave:
COVID-19; Transtornos de Estresse Traumático; Transtornos de Ansiedade; Confinamento Controlado; Doença Crônica


Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Rua Leopoldo Bulhões, 1480 , 21041-210 Rio de Janeiro RJ Brazil, Tel.:+55 21 2598-2511, Fax: +55 21 2598-2737 / +55 21 2598-2514 - Rio de Janeiro - RJ - Brazil
E-mail: cadernos@ensp.fiocruz.br