Problemas de violência ocupacional em um serviço de urgência hospitalar da Cidade de Londrina, Paraná, Brasil

Occupational violence problems in an emergency hospital in Londrina, Paraná, Brazil

Eliene Simões Cezar Maria Helena Palucci Marziale Sobre os autores

A violência no trabalho é um fator atualmente preocupante nos hospitais. Este estudo teve como objetivos caracterizar os problemas de violência ocupacional, detectados pelos trabalhadores da equipe de saúde do serviço de urgência hospitalar. Estudo exploratório e transversal, com abordagem quantitativa dos dados, foi realizado no serviço de urgência de um hospital geral da Cidade de Londrina, Paraná, Brasil. População composta por 33 trabalhadores da equipe de enfermagem e 14 médicos. Dados coletados por meio de entrevistas realizadas com os trabalhadores e com os gestores do serviço médico e de enfermagem, e consulta aos registros de violência dos últimos sete anos. Os resultados mostraram que 100% dos enfermeiros, 88,9% dos técnicos, 88,2% dos auxiliares de enfermagem e 85,7% dos médicos referiram ter sido vítimas de atos de violência no trabalho, embora não registradas. Tipo de violência sofrida: 95,2% agressão verbal; 33,3% por assédio moral e assédio sexual, respectivamente. Medidas preventivas para a violência ocupacional devem ser implementadas.

Violência; Saúde Ocupacional; Pessoal de Saúde


Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Rua Leopoldo Bulhões, 1480 , 21041-210 Rio de Janeiro RJ Brazil, Tel.:+55 21 2598-2511, Fax: +55 21 2598-2737 / +55 21 2598-2514 - Rio de Janeiro - RJ - Brazil
E-mail: cadernos@ensp.fiocruz.br