Visceral leishmaniasis in large Brazilian cities: challenges for control

A leishmaniose visceral nos grandes centros urbanos: desafios para o controle

Claudia Di Lorenzo Oliveira Maria Helena Franco Morais George Luiz Lins Machado-Coelho Sobre os autores

O objetivo deste trabalho foi discutir a disseminação da leishmaniose visceral em áreas urbanas considerando a sua rápida expansão, assim como debater questões práticas e perspectivas relacionadas ao controle da doença. Dentre as medidas propostas, a eliminação em massa de cães soropositivos é a mais polêmica e de pior aceitação junto à sociedade. O seu impacto nas taxas de incidência varia entre os estudos avaliados, sendo positivo em alguns e de pouco importância em outros. O tratamento canino, apesar de bastante utilizado na prática veterinária em nosso meio, baseia-se em estudos com fraca evidência científica. A desinsetização das áreas é de melhor aceitação pela população, porém de difícil operacionalização e alto custo. Fatores intra e interurbanos têm sido pouco estudados e podem interferir no controle da doença. Por fim, discute-se o uso da coleira impregnada e da vacina, cuja expectativa quanto ao impacto na transmissão da doença é grande, embora nenhum produto disponível no mercado esteja devidamente avaliado, demandando ainda maiores estudos.

Controle de Doenças Transmissíveis; Leishmaniose Visceral; Urbanização


Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Rua Leopoldo Bulhões, 1480 , 21041-210 Rio de Janeiro RJ Brazil, Tel.:+55 21 2598-2511, Fax: +55 21 2598-2737 / +55 21 2598-2514 - Rio de Janeiro - RJ - Brazil
E-mail: cadernos@ensp.fiocruz.br