Mortalidade, co-infecção por HIV/AIDS e abandono do tratamento como fatores prognósticos para tuberculose em Recife, Pernambuco, Brasil

Mirian Pereira Domingos Waleska Teixeira Caiaffa Enrico Antônio Colosimo Sobre os autores

Este estudo de coorte não concorrente objetivou identificar fatores associados ao óbito por tuberculose em pacientes notificados ao sistema de vigilância de tuberculose (SINAN/TB), residentes em Recife, Pernambuco, Brasil, de 1996-2000. Óbito por tuberculose e co-infecção HIV/AIDS foram validados nos Sistemas de Mortalidade (SIM) e SINAN/AIDS. Análise de sobrevida modelos de riscos proporcionais de Cox foram utilizados. Dos 5.451 indivíduos diagnosticados (coeficiente de incidência de 98,6/100 mil habitantes), 320 (5,9%) foram ao óbito por tuberculose (coeficiente de mortalidade de 12,2/100 mil habitantes). O risco relativo ajustado de morrer foi de 9,8 para maiores de 50 anos, 9,0 para indivíduos com co-infecção HIV/AIDS, 3,0 para aqueles com apresentação mista e 2,0 para pacientes que abandonaram o tratamento. Quando se estratificou a população em dois grupos: pacientes com e sem co-infecção HIV/AIDS, os estimadores estudados (faixa etária, modo de entrada e apresentação clínica) mantiveram o poder de associação no grupo sem a co-infecção. Entretanto, na presença da co-infecção, apenas apresentação mista manteve-se associada ao óbito (RR = 1,9). Neste estudo, apesar da relevância do HIV/AIDS, idade acima de cinqüenta anos, apresentação mista e abandono de tratamento foram importantes preditores de óbito em pacientes com tuberculose.

Tuberculose; Sobrevida; Mortalidade; Desistência do Paciente


Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Rua Leopoldo Bulhões, 1480 , 21041-210 Rio de Janeiro RJ Brazil, Tel.:+55 21 2598-2511, Fax: +55 21 2598-2737 / +55 21 2598-2514 - Rio de Janeiro - RJ - Brazil
E-mail: cadernos@ensp.fiocruz.br