Epidemiologia das pregas cutâneas triciptal e subescapular elevadas em adolescentes

Epidemiology of elevated triciptal and subscapular skinfolds in adolescents

Rodrigo Pereira Duquia Samuel de Carvalho Dumith Felipe Fossati Reichert Samanta Winck Madruga Luciano Nunes Duro Ana Maria Baptista Menezes Cora Luiza Araújo Sobre os autores

O objetivo deste estudo foi descrever e comparar as pregas cutâneas triciptal (PCT) e subescapular (PCS) de acordo com características demográficas, sócio-econômicas, comportamentais e biológicas em adolescentes de Pelotas, Rio Grande do Sul, Brasil. Realizou-se um estudo transversal aninhado a uma coorte de nascimentos (N = 4.452; média de idade = 11 anos). Os desfechos foram apresentar prega cutânea maior ou igual ao percentil 90 da curva de referência do National Center for Health Statistics. A prevalência de PCT e PCS elevada foi, respectivamente, de 20,2% e 17,3% nos meninos e de 14,2% e 10,5% nas meninas. O fator mais fortemente associado com adiposidade nos meninos foi o nível econômico (p < 0,001) e entre as meninas foi o índice de massa corporal materno (p < 0,001). Baixo nível de atividade física (< 300 minutos/semana) esteve associado com PCS elevadas somente entre as meninas, enquanto que escolaridade se associou à PCT e PCS elevada somente entre os meninos. Dieta, cor da pele e comportamento sedentário não se associaram com nenhum dos desfechos. Concluiu-se que os principais preditores de adiposidade foram características maternas e sócio-econômicas. Recomendam-se investigações utilizando-se outras técnicas de composição corporal para confirmação dos achados deste estudo.

Pregas Cutâneas; Antropometria; Obesidade; Adolescente


Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Rua Leopoldo Bulhões, 1480 , 21041-210 Rio de Janeiro RJ Brazil, Tel.:+55 21 2598-2511, Fax: +55 21 2598-2737 / +55 21 2598-2514 - Rio de Janeiro - RJ - Brazil
E-mail: cadernos@ensp.fiocruz.br