A percepção da comunidade médica sobre a gestão do processo de desvinculação

Pilar Monreal-Bosch Santiago Perera Maite Martínez González Clara Selva Sobre os autores

Resumo:

O conceito e processo de desvinculação estão evoluindo rapidamente. O objetivo do trabalho é conhecer as percepções de profissionais médicos na Catalunha (Espanha) sobre o processo de desvinculação e identificar estratégias e propostas de criação de um ajuste mais satisfatório. Através de uma abordagem qualitativa, houve 16 entrevistas em profundidade com pessoas-chave do contexto de saúde (fase 1) e 6 grupos focais com 72 pessoas, com base em critérios de amostragem (fase 2). A análise é interpretativa, seguindo os pressupostos da Grounded Theory. A comparação constante e triangulação dos resultados gerados por diferentes técnicas e pesquisadores mostram a representação social da atual organização da saúde, imersa no novo modelo de gestão, na comunidade médica e o processo de desvinculação. Nesse sentido, a aposentadoria é vista como uma questão pessoal, separada das políticas de recursos humanos, que estão mais interessadas em modelos de rejuvenescimento de pessoal com um “custo” menor. Diante desta situação, o artigo propõe alternativas que valorizam a experiência e os conhecimentos dos médicos antes da desvinculação à organização de saúde.

Palavras-chave:
Aposentadoria; Médicos; Pesquisa Qualitativa

Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Rua Leopoldo Bulhões, 1480 , 21041-210 Rio de Janeiro RJ Brazil, Tel.:+55 21 2598-2511, Fax: +55 21 2598-2737 / +55 21 2598-2514 - Rio de Janeiro - RJ - Brazil
E-mail: cadernos@ensp.fiocruz.br