A VARIAÇÃO DENOMINATIVA NA TERMINOLOGIA DA FAUNA E DA FLORA: (AS)SIMETRIAS LINGUÍSTICO-CULTURAIS

DENOMINATIVE VARIATION IN THE TERMINOLOGY OF FAUNA AND FLORA: CULTURAL AND LINGUISTIC (A)SYMMETRIES

Sabrina de Cássia Martins Sobre o autor

Resumo

O presente estudo abrange o tema da variação denominativa em Terminologia, tendo como objeto de estudo as unidades lexicais especializadas formadas pelos nomes de cores preto, branco, amarelo, azul, laranja, cinza, verde, marrom, vermelho, rosa, violeta, roxo e anil em língua portuguesa e seus respectivos correspondentes em inglês e italiano. Limitamo-nos a duas subáreas da Biologia: a Botânica, especificamente as Angiospermas (monocotiledôneas e eudicotiledôneas), e a Zoologia, exclusivamente os Vertebrados (peixes, mamíferos, aves, anfíbios e répteis). Uma vez sabido que a variação denominativa tem presença marcante na terminologia desses domínios em língua portuguesa, descreveremos o modo como ocorre a (não) correspondência entre os nomes comuns das espécies nas línguas em questão.

Palavras-chave
Terminologia; Variação denominativa; Fauna e flora; Nomes de cores

Universidade Federal de Santa Catarina Campus da Universidade Federal de Santa Catarina/Centro de Comunicação e Expressão/Prédio B/Sala 301 - Florianópolis - SC - Brazil
E-mail: suporte.cadernostraducao@contato.ufsc.br