Quinoa (Chenopodium quinoa, Willd.) como fonte de fibra alimentar e de outros componentes funcionais

Quatro variedades de quinoa (Chenopodium quinoa Willd.), cultura de origem andina, foram avaliados como fonte de fibra dietética, de compostos fenólicos e atividade antioxidante. As quinoas foram processadas por extrusão e os produtos finais foram analisados para determinar a fibra alimentar, o total de polifenóis, atividade de ligar os radicais livres e digestibilidade in vitro do amido e proteínas. Não houve diferença significativa no conteúdo de fibra dietética total entre as variedades de quinoa. Em todos os casos, o teor de fibra alimentar insolúvel e total diminuiu durante o processo de extrusão. Ao mesmo tempo, o teor de fibra alimentar solúvel teve um incremento. O teor de compostos fenólicos totais e a atividade de ligar os radicais livres foram aumentados durante o processo de extrusão, no caso das quatro variedades. Houve diferenças significativas entre o conteúdo total de polifenóis por variedades. A digestibilidade proteica in vitro das variedades de quinoa ficou entre 76,3 e 80,5%, e a digestibilidade in vitro do amido situou-se entre 65,1 e 68,7%. Nosso estudo demonstra que a quinoa pode ser considerada como uma boa fonte de fibra dietética, polifenóis e outros compostos antioxidantes e que o processo de extrusão - cocção pode melhorar o valor nutricional dos grãos.

quinoa; Chenopodium quinoa Willd.; fibra dietética; componentes funcionais; processo de extrusão - cocção


Sociedade Brasileira de Ciência e Tecnologia de Alimentos Av. Brasil, 2880, Caixa Postal 271, 13001-970 Campinas SP - Brazil, Tel.: +55 19 3241.5793, Tel./Fax.: +55 19 3241.0527 - Campinas - SP - Brazil
E-mail: revista@sbcta.org.br