Disponibilidade de ferro e zinco em linhagens de milho

Valéria Aparecida Vieira Queiroz Paulo Evaristo de Oliveira Guimarães Luciano Rodrigues Queiroz Estefânia de Oliveira Guedes Vanessa Diniz Barcelos Vasconcelos Lauro José Guimarães Paulo Eduardo de Aquino Ribeiro Robert Eugene Schaffert Sobre os autores

Objetivou-se caracterizar 22 linhagens tropicais de milho, de diferentes origens genéticas, quanto à disponibilidade de Zn e de Fe, por meio das razões molares ácido fítico/Zn e ácido fítico/Fe. Os teores de Zn e Fe foram determinados por espectrofotometria de absorção atômica e os de P por colorimetria. Três métodos de triagem para análise dos teores de ácido fítico (AF) foram testados e um, baseado na reação com 2,2'-bipiridina, foi selecionado. Observou-se variabilidade significativa nos teores de Zn (17,5 a 42 mg.kg-1), Fe (12,2 a 36,7 mg.kg-1), P (230 a 400 mg.100 g-1), AF (484 a 1056 mg.100 g-1), P fítico (140 a 293 mg.100 g-1), P disponível(43.5 to 199.5 mg.100 g-1) e na relação P disponível/ P total e razões molares AF/Zn (18,0 a 43,5) e AF/Fe (16,3 a 45,5). As linhagens 560977, 560978 e 560982 mostraram maior disponibilidade de Zn e as linhagens 560975, 560977, 561010 e 561011 apresentaram o melhor resultado de disponibilidade de Fe. As linhagens 560975, 560977 e 560978 também mostraram melhor relação P disponível/ P total. Assim, as linhagens 560975, 560977 e 560978 foram consideradas com potencial para desenvolvimento de cultivares de milho com alta disponibilidade de Fe e/ou Zn.

razão molar fitato/Fe; razão molar fitato/Zn; Zea mays; biofortificação


Sociedade Brasileira de Ciência e Tecnologia de Alimentos Av. Brasil, 2880, Caixa Postal 271, 13001-970 Campinas SP - Brazil, Tel.: +55 19 3241.5793, Tel./Fax.: +55 19 3241.0527 - Campinas - SP - Brazil
E-mail: revista@sbcta.org.br