Funções visoespaciais na doença de Alzheimer de intensidade leve: estudo preliminar

Natália Bezerra Mota Quental Sonia Maria Dozzi Brucki Orlando Francisco Amodeo Bueno Sobre os autores

Resumo

A doença de Alzheimer (DA) é a causa mais frequente de demencia, atingindo 55% dos casos. Os pacientes com DA gradativamente perdem a capacidade funcional, apresentando comprometimento na atenção, na linguagem, na orientação temporal e espacial, uso de objetos, no humor, na socialização, na função visuoespacial. A função visuoespacial diz respeito a identificação de um estímulo e a sua localização. O paciente com DA pode apresentar perdas da habilidade visuo-espacial no início da doença, contudo no curso do quadro clínico esta função deve apresentar-se bastante comprometida. Um dos instrumentos utilizados para avaliar a função visuo-espacial é o VOSP ( Visual Object and Space Perception Battery).

Objetivos:

A proposta deste estudo é avaliar as alterações na função visuoespacial em pacientes com DA de intensidade leve com a VOSP, e verificar a sensibilidade desta bateria em uma amostra brasileira.

Resultados:

Os controles obtiveram melhores resultados em todos os testes neuropsicológicos, com excessão do Blocos de Corsi e no teste de cancelamento - erros. Nos subtestes da VOSP os pacientes com DA mostraram uma significativa diferença em todos os subtestes de percepção de objeto e em dois de percepção de lugar (Localização de Número e Análise de Cubo).

Conclusão:

Os pacientes com DA leve mostraram ter a função visuoespacial comprometida em alguns aspectos. Os subtestes da VOSP mostraram-se sensiveis a esses déficits na fase leve da doença.

Palavras-chave:
demência; doença de Alzheimer de intensidade leve; função visoespacial.

Academia Brasileira de Neurologia, Departamento de Neurologia Cognitiva e Envelhecimento R. Vergueiro, 1353 sl.1404 - Ed. Top Towers Offices, Torre Norte, São Paulo, SP, Brazil, CEP 04101-000, Tel.: +55 11 5084-9463 | +55 11 5083-3876 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: revistadementia@abneuro.org.br | demneuropsy@uol.com.br