Avaliação dos métodos de desinfecção de alicates ortodônticos

INTRODUÇÃO: nos últimos anos, constatou-se uma forte mudança de comportamento no que diz respeito ao controle de infecção cruzada durante atendimento odontológico, exceto dentre alguns ortodontistas, que ainda persistem na ideia equivocada de que a Ortodontia é uma especialidade de baixo risco na transmissão de doenças infectocontagiosas. OBJETIVO: objetivo desse trabalho foi avaliar os métodos mais usados pelos ortodontistas para desinfecção de alicates na sua clínica diária. MÉTODOS: as bactérias Pseudomonas aeruginosa, Streptococcus salivarius e Staphylococcus aureus foram inoculadas in vitro em 30 alicates ortodônticos. Os alicates foram divididos em 3 grupos (n=10) e desinfectados de formas diferentes: grupo 1, escova, água e sabão; grupo 2, algodão embebido em álcool etílico a 70%; grupo 3, imersão em solução de glutaraldeído a 2% durante 30 minutos sendo, em seguida, enxaguados com água corrente. RESULTADOS: os resultados demonstraram que o álcool etílico 70% (grupo 2) manteve 20% dos alicates infectados, sendo mais eficiente que a água e sabão (grupo 1), que mantiveram 60% dos alicates contaminados. Apenas a imersão em glutaraldeído 2% foi capaz de descontaminar todos os alicates, sendo estatisticamente superior aos outros métodos (p =0,030). CONCLUSÃO: com base nesses resultados, concluiu-se que, dentre os métodos testados, a desinfecção de alicates ortodônticos com glutaraldeído 2% é o único método eficiente.

Desinfecção; Alicates; Ortodontia; Álcool; Glutaraldeído


Dental Press International Av. Luís Teixeira Mendes, 2712 , 87015-001 - Maringá - PR, Tel: (55 44) 3033-9818 - Maringá - PR - Brazil
E-mail: artigos@dentalpress.com.br