Fred Jordan, o grande precursor da ousadia gráfica no Brasil

HOMENAGEM

Fred Jordan, o grande precursor da ousadia gráfica no Brasil

Dario Luis Borelli

FRED JORDAN, designer gráfico alemão, naturalizado brasileiro, faleceu aos 73 anos de idade na manhã do último dia 26 de fevereiro, no Hospital Sírio Libanês. A seu pedido, o corpo foi cremado no cemitério Vila Alpina. Além de numerosos amigos e admiradores, deixou viúva a senhora Sônia Jordan e o filho de ambos, André Jordan.

Para ESTUDOS AVANÇADOS a perda de Fred Jordan é irreparável. Foi por suas mãos que a revista buscou pouco a pouco consolidar sua identidade visual, seja mediante o layout da capa ou a escolha cuidadosa dos tipos em que são compostos os textos selecionados para publicação.

ESTUDOS AVANÇADOS sente orgulho de ter recebido a colaboração desprendida e voluntária daquele que foi comparado por Olaf Leu — um dos designer mais conceituados da Europa — como o instrumentista que chegou a primeiro violino da orquestra.

Nas páginas dedicadas à Criação ESTUDOS AVANÇADOS publicou, em sua edição número 19 (set./dez. 1993), um ensaio bilíngüe de fronteira entre a ciência e a arte de autoria de Fred Jordan, acompanhado de um encarte ilustrado sobre os experimentos prismáticos de Goethe. O encarte mostra como fazer experimentos com recursos simples, visando a facilitar o acesso aos estudos fundamentais de Goethe sobre a cor — a Farbenlehre.

Também, quando ESTUDOS AVANÇADOS cumpriu 10 anos de vida, homenageou Fred Jordan nas páginas dedicadas à Criação em seu número 31 (set./dez. 1997), reproduzindo alguns de seus admiráveis trabalhos gráficos, além de depoimentos de respeitados profissionais dentro de sua área de atuação.

O artista gráfico Tide Heilmeister, por exemplo, declarou a respeito de Fred Jordan: "Quem sou eu para dar um depoimento a respeito de um profisional cuja influência venho recebendo há quase 40 anos? Fred Jordan é, para mim, o grande precursor da ousadia gráfica no Brasil. Com sua batuta de maestro faz das artes gráficas uma beleza harmoniosa de formas que se fazem valer".

A artista plástica Maria Bonomi pronunciou-se sobre os disputados calendários que Fred Jordan e a gráfica paulista Niccolini produziam e distribuíam todos os anos a clientes e colecionadores: "Em 1952, quando a gráfica Niccolini garantiu ao jovem Fred Jordan um espaço para enriquecer a visualidade do seu brinde padrão (a folhinha/calendário), com o intuito de proclamar sua excelência tecnológica, deflagrou uma revolução no mercado de publicação e da embalagem".

O designer Alexandre Wollner destacou a formação profissional de Fred Jordan. "Jordan, vindo da Alemanha, tem uma formação autodidata profunda aqui no Brasil, por força de sua intenção de evoluir. Hoje influencia o mercado gráfico com o uso da evolução de seus trabalhos artísticos e visuais, porém altamente tecnológicos, distanciando-se das influências de moda e persistindo em aprofundar-se nesse mistério que chamamos criatividade".

O geógrafo Aziz Ab'Sáber, com quem Fred Jordan manteve laços profundos de amizade, acompanhou de perto o desenvolvimento profissional do artista: "Ele dividia seu tempo entre a leitura de obras de grandes intelectuais e filósofos alemães, e projetos gráficos. Procurava assim um caminho para alcançar independência cultural e garantir a sua sobrevivência futura".

Fred Jordan nasceu em Berlim no ano de 1927. Veio com os pais para o Brasil em 1936, com nove anos de idade. Desde 1950 atuou como designer gráfico de empresas e a partir de 1980 tornou-se um profissional autônomo.

Durante toda a década de 60 foi diretor de arte e, nos anos 70, diretor técnico da Indústria Gráfica L. Niccolini. Projetou e produziu em 1958 a exposição Os primeiros 30 mil anos para a Menninger Foundation, Kansas. Deu workshops no Cenafor, em São Paulo; na School of Design, Londres e na UCLA, Los Angeles. Fez, entre outras, as seguintes exposições individuais: Masp, 1978; Museu de Arte Moderna, Rio de Janeiro, 1984; Staatliches Museum für Angewandte Kunst, Munique, 1986. Possui, entre outros, trabalhos nas coleções do Museum of Modern Art, Nova Yorque e Die Neue Sammlung, Munique. Preparou números especiais dedicados ao design publicitário e gráfico no Brasil para as revistas Idea, Tokio, 1959, e Novum Gebrauchsgraphik, Munique, 1982. Tem trabalhos publicados em Graphis, Novum, Modern Publicity, Idea e História geral da arte no Brasil (coordenado por Walter Zanini), entre outros. Criou o layout da série, hoje interrompida, SBPC Documenta, e o logotipo da Abigraf (Associação Brasileira de Indústrias Gráficas).

A alegria de conviver e aprender com Fred Jordan não se encerra com a sua morte. O seu legado permanece vivo entre nós e nas páginas de nossa revista.

Dario Luis Borelli é editor assistente de ESTUDOS AVANÇADOS, mestre em Jornalismo e Editoração pela Escola de Comunicações e Artes da USP e professor de Produção Editorial da Universidade Anhembi Morumbi.

Nesta seção são prestadas nossas primeiras homenagens a dois dedicados colaboradores de ESTUDOS AVANÇADOS - Erasmo Garcia Mendes (professor-emérito do Instituto de Biociências da USP) e Fred Jordan (designer gráfico) - falecidos no início deste ano. Eles, mesmo em condições adversas, continuaram a apoiar nossas atividades até o fim de suas vidas.

Datas de Publicação

  • Publicação nesta coleção
    11 Abr 2005
  • Data do Fascículo
    Abr 2001
Instituto de Estudos Avançados da Universidade de São Paulo Rua da Reitoria,109 - Cidade Universitária, 05508-900 São Paulo SP - Brasil, Tel: (55 11) 3091-1675/3091-1676, Fax: (55 11) 3091-4306 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: estudosavancados@usp.br