Obstrução de gotejadores resultante da aplicação de cal hidratada na água de irrigação

Foi avaliada a dinâmica de entupimento de nove tubogotejadores não compensantes, por precipitação de cal hidratada [Ca(OH)2], utilizada na fertirrigação para controle de pH do bulbo, nas marcas comerciais Azud, Amanco, Naandan, Netafim, Petroisa e Queen Gil, com vazões variando entre 0,4 e 3,0 L h-1, comumente utilizadas no País. Para tanto, foram aplicadas doses crescentes de Ca(OH)2 na água de irrigação, entre 0,01 g L-1 e 1,84 g L-1. A vazão de cada gotejador foi medida em intervalos de tempo inicialmente de 7 dias, posteriormente de 15 dias de funcionamento do sistema, totalizando um tempo de 100 dias de operação, correspondentes a nove aplicações ou 432 horas. Foram avaliados o coeficiente de variação (CV) e a vazão relativa (Qr). Os resultados apontaram diferenças entre os emissores avaliados quanto à ocorrência do entupimento, tendo os modelos G2 e G5 apresentado os menores níveis de variação de vazão em relação aos modelos G6, G7 e G9.

tubo gotejadores; evolução de entupimento; hidróxido de cálcio


Associação Brasileira de Engenharia Agrícola SBEA - Associação Brasileira de Engenharia Agrícola, Departamento de Engenharia e Ciências Exatas FCAV/UNESP, Prof. Paulo Donato Castellane, km 5, 14884.900 | Jaboticabal - SP, Tel./Fax: +55 16 3209 7619 - Jaboticabal - SP - Brazil
E-mail: revistasbea@sbea.org.br