Método canguru: percepções sobre o conhecimento, potencialidades e barreiras entre enfermeiras

Débora de Oliveira Ferreira Maria Paula Custódio Silva Tanyse Galon Bethania Ferreira Goulart Jesislei Bonolo do Amaral Divanice Contim Sobre os autores

Resumo

Objetivo:

Analisar o conhecimento, as potencialidades e as barreiras relacionadas à implantação do Método Canguru, na percepção de enfermeiras que atuam nas unidades materno-infantil de um hospital-escola.

Método:

Pesquisa exploratório-descritiva, com abordagem qualitativa, orientada pela Política de Atenção Humanizada ao Recém-Nascido de Baixo Peso, Método Canguru. Realizada entre janeiro e março de 2018, com oito enfermeiras de unidade materno-infantil. Os dados foram coletados no período entre janeiro e março de 2018, por meio de entrevistas semiestruturadas, transcritas e submetidas à Análise de Conteúdo Temática associada aos recursos do Atlas Ti versão oito.

Resultados:

Emergiram três categorias: Barreiras para o desenvolvimento do Método Canguru; Conhecimento sobre o Método Canguru; e Potências do Método Canguru.

Conclusão e implicações para a prática:

Os discursos das enfermeiras revelaram conhecimento parcial, ausência de experiência prática e barreiras relacionadas à resistência da equipe e à falta de apoio institucional, embora considerem o método com potenciais benefícios para proporcionar a construção de vínculo e indiquem a educação permanente como estratégia necessária para sua implantação.

Palavras-chaves:
Recém-nascido prematuro; Método Canguru; Enfermeiros e Enfermeiras; Enfermagem Materno-Infantil

Universidade Federal do Rio de Janeiro Rua Afonso Cavalcanti, 275, Cidade Nova, 20211-110 - Rio de Janeiro - RJ - Brasil, Tel: +55 21 3398-0952 e 3398-0941 - Rio de Janeiro - RJ - Brazil
E-mail: annaneryrevista@gmail.com