Accessibility / Report Error

Remuneração variável de professores: controle, culpa e subjetivação

Teachers' variable payment: control, guilt and subjectivation

Resumos

A cada dia fica mais difícil distinguir a administração pública da privada. Valores capitalistas são naturalizados para todas as esferas da vida humana. Modelos e políticas da gestão de empresas voltadas para o lucro têm sido cada vez mais importados para a administração pública brasileira principalmente a partir de 1995, com a Reforma Gerencial do Estado. No rastro dessas importações, diversos estados e municípios brasileiros já utilizam a remuneração variável por desempenho para gerir professores. Em que medida a remuneração variável por desempenho, aplicada a professores, pode construir novas subjetividades, funcionando como instrumento de controle e de culpabilização desses mesmos docentes? Esta é a indagação que norteia este artigo.

Subjetivação; Controle; Culpa; Remuneração Variável; Trabalho Docente


Each day it becomes more difficult to distinguish between public and private administration. Capitalist values are naturalized to all spheres of human life. Models and policies of the management of companies focused on profit have been progressively more imported to Brazilian public administration, mainly after 1995, with the management reform of the State. Several municipalities and states already use variable payment systems based on performance to manage teachers. To what extent variable payment by performance, applied to teachers, may build new subjectivities, functioning as an instrument of control and guilt of these teachers? This is the question that guides this paper.

Subjectivation; Control; Guilt; Variable Payment; Teachers' Work


  • ALVES, Giovanni. Trabalho e Subjetividade: o espírito do toyotismo na era do capitalismo manipulatório. São Paulo: Boitempo, 2011.
  • BALL, Stephen. Diretrizes Políticas Globais e Relações Políticas Locais em Educação. Currículo sem Fronteiras, online, v. 1, n. 2, p. 99-116, jul./dez. 2001.
  • BALL, Stephen. Performatividade, Privatização e o Pós-Estado de Bem-Estar. Educação e Sociedade, Campinas, v. 25, n. 89, p. 1105-1126, set./dez. 2004.
  • BARBOSA, Lívia. Igualdade e Meritocracia: a ética nas sociedades modernas. 2. ed. Rio de Janeiro: Editora FGV, 1999.
  • BAUMAN, Zygmunt. Vidas Desperdiçadas Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 2005.
  • BRASIL. Ministério da Administração e Reforma do Estado. Câmara da Reforma do Estado. Plano Diretor da Reforma do Estado Presidência da República. Brasília-DF, 1995. Disponível em: <http://www.planejamento.gov.br/noticia.asp?p=not&cod=524&cat=238&sec=25>. Acesso em: 10 jan. 2008.
  • BRASIL. Ministério da Educação. Plano de Desenvolvimento da Educação (PDE). 2007. Disponível em: http://www.mec.gov.br Acesso: em 10 de jan, 2008.
  • BRESSER PEREIRA, Luiz Carlos. A Reforma Gerencial do Estado de 1995. Revista de Administração Pública, Lisboa, v. 34, n. 4, p. 55-72, mar. 2000.
  • CASSETARI, Nathalia. Remuneração Variável para Professores: revisão de literatura e desdobramentos no estado de São Paulo. 2010. Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2010.
  • CASTELHANO, Laura Marques. O Medo do Desemprego e a(s) Nova(s) Organizações de Trabalho. Psicologia e Sociedade, Belo Horizonte, v. 17, n. 1, p. 14-20, jan./abr. 2005.
  • CODO, Wanderley (Org.). Educação: carinho e trabalho. Petrópolis: Vozes, 1999.
  • COSTA, Aurea; NETO, Edgard; SOUZA, Gilberto. A Proletarização do Professor: neoliberalismo na educação. São Paulo: Editora Instituto José Luís e Rosa Sundermann, 2009.
  • DEJOURS, Christophe. A Loucura do Trabalho: estudo de psicopatologia do trabalho. 5 ed. São Paulo: Cortez – Oboré, 1992.
  • DEL PINO, Mauro Augusto Burkert; VIEIRA, Jarbas Santos; HYPOLITO, Álvaro Moreira. Controle e Intensificação do Trabalho Docente: câmeras, novo gerencialismo e práticas de governo. In: FIDALGO, Fernando; OLIVEIRA, Maria Auxiliadora M.; FIDALGO, Nara Luciene Rocha (Org.). A Intensificação do Trabalho Docente: tecnologias e produtividade. Campinas: Papirus, 2009. P. 113-133.
  • DELEUZE, Gilles. Conversações Rio de Janeiro: Editora 34, 1992.
  • FORD, Henry. Os Princípios da Prosperidade 2 ed. Rio de Janeiro: Livraria Freitas Bastos, 1964.
  • FOUCAULT, Michel. Ditos e Escritos I: problematização do sujeito: psicologia, psiquiatria e psicanálise. Rio de Janeiro: Editora Forense Universitária, 2002.
  • FOUCAULT, Michel. Vigiar e Punir: nascimento da prisão. 30. ed. Petrópolis: Vozes, 2005.
  • FOUCAULT, Michel. Nascimento da Biopolítica: curso dado no Collège de France (1977-1978). São Paulo: Martins Fontes, 2008.
  • GUATTARI, Félix; ROLNIK, Suely. Micropolítica: cartografias do desejo. 8. ed. Petrópolis: Vozes, 2007.
  • LARANJEIRA, Sonia M. Guimarães. Fordismo e pós-fordismo. In: CATTANI, Antonio David (Org.). Trabalho e Tecnologia: dicionário crítico. Petrópolis: Vozes; Porto Alegre: Editora da UFRGS, 1997. P. 89-93.
  • LAZZARATO, Maurizio. As Revoluções do Capitalismo Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2006.
  • LINS, Daniel. Juízo e Verdade em Deleuze São Paulo: Annablume, 2004.
  • LYOTARD, Jean François. A Condição Pós-Moderna 13. ed. Rio de Janeiro: José Olympio, 2011.
  • MELLO, Guiomar N. Cidadania e Competitividade: desafios educacionais do terceiro milênio. 3. ed. São Paulo: Cortez, 1994.
  • MOREIRA, Vera Susana Lassance. Dobras da Subjetividade: a remuneração variável como caso-pensamento do contemporâneo. Psico, Porto Alegre, v. 38, n. 1, p. 95-106, jan./abr. 2007.
  • MOTTA, Fernando Cláudio Prestes; VASCONCELOS, Izabella F. Gouvêia. Teoria Geral da Administração 3. ed. São Paulo: Thomson Learning, 2006.
  • NARDI, Henrique Caetano. Ética, Trabalho e Subjetividade: trajetórias de vida no contexto das transformações do capitalismo contemporâneo. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2006.
  • NERI, Marcelo. As Metas Educacionais e o IDEB 2.0. Revista Conjuntura Econômica, São Paulo, v. 63, n. 1, p. 44-47, jan. 2009.
  • NIETZSCHE, Friedrich. Genealogia da Moral: uma polêmica. 5. ed. São Paulo: Companhia das Letras, 1998.
  • NIETZSCHE, Friedrich. Escritos sobre Educação Rio de Janeiro: Ed. PUC-Rio; São Paulo: Loyola, 2004.
  • OHNO, Taichi. O Sistema Toyota de Produção: além da produção em larga escala. Porto Alegre: Bookman, 1997.
  • OLIVEIRA, Dalila Andrade. A Reestruturação do Trabalho Docente: precarização e flexibilização. Educação e Sociedade, Campinas, v. 25, n. 89, p. 1127-1144, set./dez. 2004.
  • RIO DE JANEIRO. Decreto-Lei nº 30.860, de 01 de julho de 2009. Dispõe sobre os critérios de premiação a ser concedida aos servidores. Diário Oficial [do Município do Rio de Janeiro], Rio de Janeiro, n. 71, p. 04, 02 jul. 2009.
  • ROBBINS, Stephen Paul. Administração: mudanças e perspectivas. São Paulo: Saraiva, 2002.
  • RODRIGUES, Jean Douglas Zeferino. Implicações do Projeto "São Paulo faz Escola" no Trabalho de Professores do Ciclo I do Ensino Fundamental Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Ciências e Letras, Universidade Estadual Paulista, 2010.
  • ROLNIK, Suely. Uma Insólita Viagem à Subjetividade. Fronteiras com a Ética e a Cultura. In: LINS, Daniel (Org.). Cultura e Subjetividade: saberes nômades. Campinas: Papirus, 1997. P. 25-34.
  • ROLNIK, Suely. Novas Figuras do Caos: mutações da subjetividade contemporânea. In: SANTAELLA, Lucia; VIEIRA, Jorge Albuquerque (Org.). Caos e Ordem na Filosofia e nas Ciências São Paulo: Face e Fapesp, 1999. P. 206-221.
  • ROLNIK, Suely. Cartografia Sentimental: transformações contemporâneas do desejo. Porto Alegre: Sulina; Editora da UFRGS, 2006.
  • TAYLOR, Frederick Winslow. Princípios da Administração Científica São Paulo: Atlas, 1990.

Datas de Publicação

  • Publicação nesta coleção
    23 Set 2013
  • Data do Fascículo
    Set 2013

Histórico

  • Recebido
    16 Abr 2010
  • Aceito
    06 Out 2012
Universidade Federal do Rio Grande do Sul - Faculdade de Educação Avenida Paulo Gama, s/n, Faculdade de Educação - Prédio 12201 - Sala 914, 90046-900 Porto Alegre/RS – Brasil, Tel.: (55 51) 3308-3268, Fax: (55 51) 3308-3985 - Porto Alegre - RS - Brazil
E-mail: educreal@ufrgs.br