Significados da pragmática linguística na formação de leitores

Significations of linguistic pragmatic in the formation of readers

Resumos

O texto se propõe a analisar as possibilidades oferecidas pela pragmática linguística na qualificação de leitores, tanto de textos convencionais, quanto das novas formas textuais que os meios de comunicação oferecem. O público-alvo são os formadores de leitores, bem como todos os interessados em aperfeiçoar-se no ato de ler, em sentido amplo. Sob o ponto de vista teórico, utilizaram-se os aportes da pragmática linguística austiniana e de algumas ferramentas advindas da fenomenologia, sobretudo na forma praticada na pós-modernidade, sem se desviar do escopo do artigo, que é a formação de leitores.

Formação de Leitores; Leitura; Pragmática Linguística


Aims to analyze the possibilities offered by linguistic pragmatics in the improving of readers, both in conventional texts, and textual new forms that media offer. The target to be heated home is the readers' educators, as well as all those persons who are interested in improving themselves in the act of reading. Under theoretical point of view, austinian resources in linguistic pragmatics are used, as well as those of phenomenology, especially those performed in post-modernity, without to become distant of the aim of the article, that is, the formation of readers.

Reader's Formation; Reading; Linguistic Pragmatics


  • ALTHUSSER, Louis. Aparelhos Ideológicos de Estado: nota sobre os aparelhos ideológicos de estado. 6. ed. Rio de Janeiro: Graal, 1992. 127 p.
  • AUSTIN, John Langshaw. Quando Dizer é Fazer: palavras e ação. Porto Alegre: Artes Médicas, 1990. 136 p.
  • BENVENISTE, Émile. Problemas de Linguística Geral I 5. ed. Campinas: Pontes, 2005. 387 p.
  • BRANDÃO, Helena Nagamine. Introdução à Análise do Discurso Campinas: UNICAMP, 1994. 96 p.
  • COSTA, Claudio F. Revendo a Distinção Constatativo/Performativo. Princípios, Natal, v. 2II, n. 3, p. 32-46, jul./dez. 1995.
  • DELEUZE, Gilles. O que é a Filosofia? Rio de Janeiro: Ed. 34, 1992. 279 p.
  • DERRIDA, Jacques. Gramatologia São Paulo: Perspectiva, 1973. 386 p.
  • GADAMER, Hans-Georg. Verdad y Método II 2. ed. Salamanca: Sígueme, 1994. 429 p.
  • HALL, Stuart. Identidades Culturais na Pós-modernidade Rio de Janeiro: DP&A, 1997. 102 p.
  • KUNZ, Júlio; STUMPF, Elisa Mrchioro. Constativos e Performativos: Austin e Benveniste sobre os atos de fala. In: SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE TEXTO, ENUNCIAÇÃO E DISCURSO - SITED, setembro de 2010. Porto Alegre. Anais... Porto Alegre: PUC-RS, 2010. P. 277-282.
  • LARROSA, Jorge. Literatura, Experiência e Formação: uma entrevista de Jorge Larrosa, para Alfredo Veiga-Neto, [S. l.:], em julho de 1995. In: COSTA, Marisa Vorraber (Org.). Caminhos Investigativos: novos olhares na pesquisa em educação. Porto Alegre: Mediação, 1996. P. 133-161.
  • MARCUSCHI, Luiz Antônio. O Hipertexto Como um Novo Espaço de Escrita em Sala de Aula. Linguagem & Ensino, Pelotas, v. 4, n. 1, p. 79-111, jan./jul. 2001. Disponível em: <http://rle.ucpel.tche.br/php/edicoes/v4n1/f_marcuschi.pdf>. Acesso em: 17 dez. 2010.
  • MARQUILHAS, Rita. Conceito de Pragmática Linguística na Mise-en-Page do Texto Escrito. In: ABREU, Márcia; SCHAPOCHNIK, Nelson (Org.). Cultura Letrada no Brasil: objetos e práticas. Campinas: Mercado das Letras, 2005. Disponível em: <http://www.clul.ul.pt/equipa/rmarquilhas/LINK4.pdf>. Acesso em 14 dez. 2010.
  • MATURANA, Humberto. A Natureza do Tempo São Paulo: Instituto de Terapia Cognitiva (Ed.), 1995. [Tradução não publicada de Ireno Antônio Berticelli]. Acessado pela internet em 27 nov. 2005. Não está mais disponível. [Trad: Não publicada de Ireno Antônio Berticelli]
  • NIETZSCHE, Friedrich. Ecce homo Covilhã: Universidade da Beira Interior, 2008. 111 p.
  • OTTONI, Paulo Roberto. Semelhanças Entre Uptake e Trace: considerações sobre tradução. DELTA, São Paulo, v. 13 n. 2, p. 315-319, ago. 1997.
  • PRETTO, Nelson De Luca. Linguagens e Tecnologias na Educação. In: KUENZER, Acácia Zenaida et al. Cultura, Linguagem e Subjetividade no Ensinar e Aprender 2. ed. Rio de Janeiro: DP&A, 2001. 190 p.
  • RANGEL, Eliane de Fátima Manenti. Uma Nova Concepção de Linguagem a partir do Percurso Performativo de Austin. Revista Letra Magna - Revista Eletrônica de Divulgação Científica em Língua Portuguesa, Linguística e Literatura, Porto Alegre, ano 01, n. 1, seg. sem. 2004. Disponível em: <http://www.letramagna.com/elianedefatimamanentirangel.pdf>. Acesso em: 28 nov. 2010.
  • SANTAELLA, Lúcia. O Homem e as Máquinas. In: DOMINGUES, Diana. A Arte no Século XXI: a humanização das tecnologias. São Paulo: UNESP, 1997. 374 p.
  • TEDESCO, Sílvia. A Natureza Coletiva do Elo Linguagem-Subjetividade. Psicologia: teoria e pesquisa, Brasília, v. 19, n. 1, p. 85-89, jan./abr. 2003. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/ptp/v19n1/a11v19n1.pdf>. Acesso em: 17 dez. 2003.
  • WITTGENSTEIN, Ludwig. Tractatus Logico-Philosophicus 3. ed. São Paulo: EDUSP, 2001. 294 p.
  • WITTGENSTEIN, Ludwig. Investigações Filosóficas São Paulo: Nova Cultural, 1996. 222 p.

Datas de Publicação

  • Publicação nesta coleção
    28 Jun 2013
  • Data do Fascículo
    Jun 2013

Histórico

  • Recebido
    22 Jun 2011
  • Aceito
    26 Fev 2012
Universidade Federal do Rio Grande do Sul - Faculdade de Educação Avenida Paulo Gama, s/n, Faculdade de Educação - Prédio 12201 - Sala 914, 90046-900 Porto Alegre/RS – Brasil, Tel.: (55 51) 3308-3268, Fax: (55 51) 3308-3985 - Porto Alegre - RS - Brazil
E-mail: educreal@ufrgs.br