A PROPOSTA DE DESENVOLVIMENTO RURAL E DE EDUCAÇÃO DA FAO NOS ANOS 1950 E NA ATUALIDADE: FORJANDO CONSENSOS COMO DISFARCE SOCIAL

Dayane Santos Silva Dalmaz Angela Maria Hidalgo César Aparecido Nunes Sobre os autores

RESUMO:

A Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura - FAO, agência da ONU, atua com expressividade nos programas de governo de combate à fome e de desenvolvimento rural no Brasil, bem como em países da América Latina, Caribe e África. Neste artigo apresentamos como objeto de estudo a relação entre a proposta de desenvolvimento rural da FAO e os princípios educativos defendidos por esta agência nos anos 1950 e a partir de 2005.O estudo foi realizado por meio de fontes secundárias e primárias, cuja síntese das conclusões aponta que como nos anos 1950, e coerentemente com a metodologia da FAO de constituição de consensos sociais em torno das propostas de desenvolvimento rural e educativa, atualmente são lançadas bandeiras de lutas que aglutinam setores sociais antagônicos em torno de uma proposta que promove a inserção subordinada das populações do campo à lógica do mercado.

Palavras-chave:
Desenvolvimento rural; Educação; FAO; Organizações internacionais; Educação rural

Faculdade de Educação da Universidade Federal de Minas Gerais Avenida Antonio Carlos, 6627., 31270-901 - Belo Horizonte - MG - Brasil, Tel./Fax: (55 31) 3409-5371 - Belo Horizonte - MG - Brazil
E-mail: revista@fae.ufmg.br