Posse de escravos e estrutura da riqueza no agreste e sertão de Pernambuco: 1777-1887

Flávio Rabelo Versiani José Raimundo Oliveira Vergolino Sobre os autores

Resumos

O artigo reporta achados de um programa de pesquisa em andamento sobre as características do escravismo em Pernambuco, com ênfase no século XIX. A partir da evidência de que uma parcela significativa do estoque de escravos da província estava localizada, no período, fora de sua área açucareira - ou seja, no Agreste e no Sertão - investigam-se as características de tais escravos, a partir de dados de inventários post mortem. Verifica-se que os escravos no Agreste e Sertão (i) em geral pertenciam a pequenos plantéis; (ii) tinham o perfil demográfico esperado de cativos comprados para utilização produtiva; (iii) constituíam proporção preponderante dos ativos inventariados, em valor, mesmo depois do significativo aumento nos preços de escravos, na segunda metade do século. Esses achados contrariam a idéia, comumente expressa na literatura, de que algodão e gado, as atividades produtivas típicas do Agreste e Sertão, não pudessem ser explorados com uso de trabalho escravo, e reforçam evidências de outros autores sobre a importância da escravidão de pequenos plantéis, no Brasil.

Escravismo; Brasil; trabalho escravo; Brasil, Nordeste


The article is a progress report on an on-going research program on slavery in the Brazilian Northeast. The characteristics of slave labor outside the coastal sugar zone of Pernambuco province are investigated. It is found that there were significant slave holdings in the cattle-raising, cotton-growing regions of the province, in the backlands, contrary to a commonly-held belief that those activities were not suited to be performed by slave labor. Slave holdings were generally small; and the demographic profile of the slave population was that expected of a labor force productively used by profit-maximizing slave-owners. The proportion of the value of slave holdings in total assets is surprisingly high, and does not tend to decrease after the sharp increase in slave prices in the second half of the nineteenth century. Those findings add to the increasing evidence, in the literature, on the importance of small slave holdings in Brazil.

Slavery; Brazil; slave labor; Brazilian Northeast


Posse de escravos e estrutura da riqueza no agreste e sertão de Pernambuco: 1777-1887

Flávio Rabelo VersianiI; José Raimundo Oliveira VergolinoII

IProfessor do Departamento de Economia da Universidade de Brasília

IIProfessor do Departamento de Economia da Universidade Federal de Pernambuco

RESUMO

O artigo reporta achados de um programa de pesquisa em andamento sobre as características do escravismo em Pernambuco, com ênfase no século XIX. A partir da evidência de que uma parcela significativa do estoque de escravos da província estava localizada, no período, fora de sua área açucareira - ou seja, no Agreste e no Sertão - investigam-se as características de tais escravos, a partir de dados de inventários post mortem. Verifica-se que os escravos no Agreste e Sertão (i) em geral pertenciam a pequenos plantéis; (ii) tinham o perfil demográfico esperado de cativos comprados para utilização produtiva; (iii) constituíam proporção preponderante dos ativos inventariados, em valor, mesmo depois do significativo aumento nos preços de escravos, na segunda metade do século. Esses achados contrariam a idéia, comumente expressa na literatura, de que algodão e gado, as atividades produtivas típicas do Agreste e Sertão, não pudessem ser explorados com uso de trabalho escravo, e reforçam evidências de outros autores sobre a importância da escravidão de pequenos plantéis, no Brasil.

Palavras-chave: Escravismo, Brasil, trabalho escravo, Brasil, Nordeste.

ABSTRACT

The article is a progress report on an on-going research program on slavery in the Brazilian Northeast. The characteristics of slave labor outside the coastal sugar zone of Pernambuco province are investigated. It is found that there were significant slave holdings in the cattle-raising, cotton-growing regions of the province, in the backlands, contrary to a commonly-held belief that those activities were not suited to be performed by slave labor. Slave holdings were generally small; and the demographic profile of the slave population was that expected of a labor force productively used by profit-maximizing slave-owners. The proportion of the value of slave holdings in total assets is surprisingly high, and does not tend to decrease after the sharp increase in slave prices in the second half of the nineteenth century. Those findings add to the increasing evidence, in the literature, on the importance of small slave holdings in Brazil.

Key words: Slavery, Brazil, slave labor, Brazilian Northeast.

JEL Classification

N36

Texto completo disponível apenas em PDF.

Full text available only in PDF format.

(Recebido em junho de 2002. Aceito para publicação em outubro de 2002).

Os autores agradecem, sem responsabilizá-los, aos participantes do XXVII Encontro da ANPEC que fizeram comentários e sugestões a versão anterior deste trabalho, em particular ao debatedor, Renato Marcondes, assim como a pareceristas anônimos desta revista. Agradecem também o competente trabalho de assistência técnica à pesquisa de Antônio Pessoa Nunes Neto e, na coleta de dados, de Tatiana Silva de Lima, Ivina de Morais Peixoto e Glauber Guedes de Lima. O projeto de pesquisa tem o apoio do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico CNPq, do qual os autores são bolsistas, e do Programa Nacional de Cooperação Acadêmica PROCAD, da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior CAPES.

  • ANDRADE, Manuel Correia de. O processo de ocupação do espaço regional do nordeste 2ª ed. Recife: Sudene, 1979. (Série Estudos Regionais, nº 1).
  • _______. A terra e o homem no nordeste. 6ª ed. Recife: Ed. Universitária da UFPE, 1998. (Primeira edição em 1963).
  • ANDRADE, Maria José de S. A mão-de-obra escrava em Salvador, 1811-1860 São Paulo: Corupio, 1988.
  • BACELLAR, Carlos A. Prado. A escravidão miúda em São Paulo colonial. In: SILVA, M. B. Nizza da (org.), Brasil: colonização e escravidão. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2000.
  • BARICKMAN, B. J. A Bahian counterpoint; sugar, tobacco, cassava, and slavery in the Recôncavo, 1780-1860. Stanford: Stanford University Press, 1998.
  • BARZEL, Yoram. An economic analysis of slavery. Journal of Law and Economics, v. 20, n. 1, p. 87-110, Apr. 1977.
  • BERGAD, Laird W. Slavery and the demographic and economic history of Minas Gerais, Brazil, 1720-1888. Cambridge: Cambridge University Press, 1999.
  • BEZERRA NETO, José Maia. Escravidão negra no Grão Pará; séculos XVII-XIX. Belém: Paka-Tatu, 2001.
  • CAPISTRANO DE ABREU, João. Capítulos de história colonial 7ª ed. Belo Horizonte: Itatiaia, 1988. (Primeira edição em 1907).
  • CHANDLER, Billy James. The Feitosas and the Sertão dos Inhamuns; the history of a family and a community in Northeast Brazil, 1700-1930. Gainesville: University of Florida Press, 1972.
  • COSTA, Iraci del Nero da; NOZOE, Nelson H. Elementos da estrutura de posse de escravos em Lorena no alvorecer do século XIX. Estudos Econômicos, v. 19, n. 2, p. 319-345, 1989.
  • DENIS, FERDINAND. Brasil Trad. J. Etiene Filho e M. Lima. Belo Horizonte: Itatiaia, 1980. (Primeira edição francesa em 1837).
  • DOMAR, Evsey D. The causes of slavery and serfdom: a hypothesis. Journal of Economic History, v. 30, n. 1, p. 18-32, mar. 1970.
  • EISENBERG, Peter L. The sugar industry in Pernambuco, 1840-1910; modernization without change. Berkeley: University of California Press, 1974.
  • ESTATÍSTICA DO BRASIL [Censo de 1872]; Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco, Alagoas e Sergipe Rio de Janeiro: Tipografia de G. Leuzinger e Filhos, s.d.
  • FALCI, Miridan B. K. A escravidão nas áreas pecuaristas do Brasil. In: SILVA, M. B. Nizza da (org.), Brasil: colonização e escravidão. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2000.
  • FIGUEIRA DE MELLO, Jeronymo Martiniano. Ensaio sobre a estatística civil e política da Província de Pernambuco. Recife: Conselho Estadual de Cultura, 1979. (Publicado originalmente em 1852).
  • FENOALTEA, Stefano. Slavery and supervision in comparative perspective: a model. Journal of Economic History, v. 44, n. 3, p. 635-668, Sept 1984.
  • FOGEL, Robert W.; ENGERMAN, Stanley L. Time on the cross. 2v. Boston: Little, Brown & Co., 1974.
  • FRAGOSO, João L. Ribeiro. Homens de grossa aventura: acumulação e hierarquia na praça mercantil do Rio de Janeiro (1790-1830). Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 1992.
  • FURTADO, Celso. Formação econômica do Brasil 14ª ed. São Paulo: Ed. Nacional, 1976. (Primeira edição em 1959).
  • GALLIZA, Diana Soares de. O declínio da escravidão na Paraíba, 1850-1888. João Pessoa: Editora Universitária/UFPb, 1979.
  • GARDNER, George. Viagem ao interior do Brasil Trad. de M. Amado. Belo Horizonte: Itatiaia, 1975. (Primeira edição inglesa em 1846).
  • GORENDER, Jacob. O escravismo colonial São Paulo: Ática, 1978.
  • GOULART, José Alípio. Brasil do boi e do couro Rio de Janeiro: GRD, 1965.
  • GUIMARÃES, Alberto Passos. Quatro séculos de latifúndio Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1968.
  • IANNI, Octavio. As metamorfoses do escravo São Paulo: Difusão Européia do Livro, 1962.
  • JOFFILY, Geraldo Ireneo. Notas sobre a Parahyba Rio de Janeiro: Jornal do Commercio, 1892. (Reedição: Brasília: Thesaurus, 1977).
  • KAHN, Charles. An agency approach to slave punishments and awards. In: FOGEL R.W; ENGERMAN,S. (eds.), Without consent or contract; conditions of slave life and the transition to freedom. (Technical Papers, v. 2). New York: Norton, 1992.
  • KOSTER, Henry. Viagens ao nordeste do Brasil Trad. Luiz da Câmara Cascudo. São Paulo: Cia. Editora Nacional, 1942. (Primeira edição inglesa em 1816).
  • LUNA, Francisco Vidal. São Paulo: população, atividades e posse de escravos em vinte e cinco localidades (1777-1829). Estudos Econômicos, v. 28, n. 1, p. 99-169, jan./mar. 1998.
  • LUNA, Francisco Vidal; COSTA, Iraci del Nero da. Posse de escravos em São Paulo no início do século XIX. Estudos Econômicos, v. 13, n. 1, p. 211-221, jan./abr. 1983.
  • LUNA, Francisco Vidal; KLEIN, Herbert S. Economia e sociedade escravista em Minas Gerais e São Paulo na década de 1830. Artigo apresentado no XIII Economic History Congress (International Economic History Association). Buenos Aires, julho de 2002.
  • MARCONDES, Renato L. A arte de acumular na economia cafeeira; Vale do Paraíba, século XIX. Lorena: Stiliano, 1998.
  • _______.A propriedade escrava no Vale do Paraíba paulista durante a década de 1870. XXIX Encontro Nacional de Economia - Anais Salvador, dez. de 2001. (CD-rom).
  • MATTOSO, Kátia M.Q. Bahia, século XIX; uma província no império. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1992.
  • MELLO, Zélia Maria Cardoso de. Metamorfoses da riqueza; São Paulo, 1845-1895. 2ª ed. São Paulo: Hucitec, 1990.
  • MOTT, Luiz. Descrição da Capitania de São José do Piauí, 1772. Revista de História 112, p. 544-574, 1977.
  • _______. Os índios e a pecuária nas fazendas de gado do Piauí colonial. Revista de Antropologia, 22, p. 61-78, 1979.
  • MOURA, Clóvis. Rebeliões da senzala 2ª ed. Rio de Janeiro: Conquista, 1972.
  • PAIVA, Clotilde de A. População e economia nas Minas Gerais do século XIX 1996. Tese (Doutorado), Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo, São Paulo.
  • PRADO JR., Caio. Formação do Brasil contemporâneo; colônia. 5ª ed. São Paulo: Brasiliense, 1957. (Primeira edição em 1942).
  • _______. História econômica do Brasil 17ª ed. São Paulo: Brasiliense, 1974. (Primeira edição em 1945).
  • SALLES, Vicente. O negro no Pará Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas, 1971.
  • SAINT-HILAIRE, Auguste de. Viagem pelas Províncias do Rio de Janeiro e Minas Gerais Trad. V. Moreira. Belo Horizonte: Itatiaia, 1975a. (Primeira edição francesa em 1830).
  • _______. Viagem às nascentes do rio São Francisco Trad. R. R.Junqueira. Belo Horizonte: Itatiaia, 1975b. (Primeira edição francesa em 1847).
  • SCHWARTZ, Stuart B. Patterns of slaveholding in the Americas: new evidence from Brazil. American Historical Review, v. 87, n. 1, p. 55-86, Feb. 1982.
  • _______. Sugar plantations in the formation of Brazilian society; Bahia, 1550-1835. Cambridge: Cambridge University Press, 1985.
  • SIMONSEN, Roberto C. História econômica do Brasil (1500/1820) 7ª ed. São Paulo: Ed. Nacional; Brasília: INL/MEC, 1977. (Primeira edição em 1937).
  • SODRÉ, Nelson Werneck. Formação histórica do Brasil São Paulo: Brasiliense, 1962.
  • SPIX, Johann B. von; MARTIUS, Carl F. P. von. Viagem pelo Brasil, 1817-1820 Trad. L. F.Lahmeyer. 3v. Belo Horizonte: Itatiatia, 1981. (Primeira edição alemã em 1823-1831).
  • TOLLENARE, L. F. de. Notas dominicais Recife: Secretaria de Educação e Cultura, 1978.
  • VERGOLINO, José Raimundo. A demografia escrava no nordeste do Brasil: o caso de Pernambuco - 1880/1888. Revista Econômica do Nordeste, v. 28, Número Especial, jul. 1997
  • VERSIANI, Flávio Rabelo. Brazilian slavery: toward an economic analysis. Revista Brasileira de Economia, v. 48, n. 4, p. 463-478, out./dez. 1994.
  • _______. Os escravos que Saint-Hilaire viu. História Econômica e História de Empresas, v. 3, n. 1, p. 7-42, 2000.
  • VERSIANI, Flávio Rabelo; VERGOLINO, José Raimundo O. Escravos e estrutura da riqueza no agreste pernambucano, 1770-1887. XXVIII Encontro Nacional de Economia - Anais Campinas, dez. de 2000. (publicado em CD-rom).
  • WALLACE, Alfred Russel. Viagens pelos rios Amazonas e Negro Belo Horizonte: Itatiaia, 1979. (Primeira edição inglesa em 1853).

Datas de Publicação

  • Publicação nesta coleção
    13 Out 2009
  • Data do Fascículo
    Jun 2003

Histórico

  • Aceito
    Out 2002
  • Recebido
    Jun 2002
Departamento de Economia, Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo (FEA-USP) Av. Prof. Luciano Gualberto, 908. FEA II - térreo- Cid. Universitária, CEP: 05508-010 São Paulo/SP, Tel.: (55 11) 3091-5802/3091-5947 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: estudoseconomicos@usp.br
Accessibility / Report Error