ROGER BASTIDE, ANTONIO CANDIDO E A TESE INTERROMPIDA SOBRE O CURURU1 1 Em A sociologia da arte, Nathalie Heinich atribui explicitamente a Roger Bastide o papel de precursor da “sociologia da arte de pesquisa”, constituída em torno de Pierre Bourdieu, ao mobilizar um “recorte moderno” que enfoca relações entre produtores, amadores e instituições, ultrapassando a disjuntiva entre arte e sociedade, propondo o entendimento da “arte como sociedade” (2008: 63-64).

Roger Bastide, Antonio Candido and the interrupted thesis on the cururu

Roger Bastide, Antonio Candido y la tesis interrumpida acerca del cururu

WILLIAM SANTANA SANTOS MAX LUIZ GIMENES LUIZ CARLOS JACKSON Sobre os autores

Resumo

Abordaremos neste texto as relações entre o programa de pesquisa em sociologia da arte liderado por Roger Bastide na Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras da Universidade de São Paulo (FFCL-USP), nas décadas de 1940 e 1950, e a tese incompleta de Antonio Candido sobre o cururu. A análise desse material e de seu contexto permite avaliar conexões teóricas e metodológicas entre os autores e flagrar as possíveis disputas em jogo nesse momento em torno da sucessão do sociólogo francês na USP por seus discípulos e discípulas paulistas.

Palavras-chave:
Roger Bastide; Antonio Candido; Sociologia paulista; Intelectuais

Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil da Fundação Getúlio Vargas Secretaria da Revista Estudos Históricos, Praia de Botafogo, 190, 14º andar, 22523-900 - Rio de Janeiro - RJ, Tel: (55 21) 3799-5676 / 5677 - Rio de Janeiro - RJ - Brazil
E-mail: eh@fgv.br