Trabalhadores negros e o "paradigma da ausência":1 1 Ver Sidney Chalhoub e Fernando Teixeira da Silva (2009: 15): ausência "do diálogo necessário entre os historiadores e os estudiosos das práticas políticas e culturais dos trabalhadores urbanos pobres e do movimento operário". contribuições à História Social do Trabalho no Brasil

Black workers and the "paradigm of absence": contributions to the social history of labor in Brazil

Resumo

O artigo reabre o debate em torno do "paradigma da ausência" na produção historiográfica dos mundos do trabalho. Os historiadores que analisaram os trabalhadores pobres e o movimento operário raramente dialogaram com especialistas em escravidão. Mesmo quando investigam o século XX, pouco incluem sujeitos negros - mulheres, crianças, homens - em suas pesquisas. Foram os especialistas em escravidão e pós-abolição os que mais avançaram em direção ao debate e contribuíram para a visibilidade desses sujeitos históricos. O artigo aponta ainda os problemas trazidos por essa ausência e sugere alguns caminhos metodológicos de mudança.

Palavras-chave:
historiografia; mundos do trabalho; cor; século XX

Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil da Fundação Getúlio Vargas Secretaria da Revista Estudos Históricos, Praia de Botafogo, 190, 14º andar, 22523-900 - Rio de Janeiro - RJ, Tel: (55 21) 3799-5676 / 5677 - Rio de Janeiro - RJ - Brazil
E-mail: eh@fgv.br