A PCSK9 e sua relevância clínica com os novos alvos terapêuticos contra a dislipidemia

Este é um progresso sensível; desde a descoberta das estatinas, não havia novas maneiras de diminuir, de maneira significativa, o colesterol e a fração LDL. Também está claro que essa redução, pelas estatinas, tem relação com futuras lesões cardiovasculares, sendo útil na profilaxia primária e secundária destas. Os autores apresentaram estudos sobre pesquisas para promover a queda do colesterol sanguíneo por meio de anticorpos que inibem a pró-proteína PCSK9, bem como agentes que atuam realizando a interferência no RNA. Duas vantagens se afiguram imediatamente: para pacientes que têm a miopatia relacionada às estatinas e por ser droga injetável a cada 15 dias, o que pode colaborar para maior adesão ao tratamento.

Dislipidemias; Lipoproteínas; LDL-colesterol


Instituto Israelita de Ensino e Pesquisa Albert Einstein Avenida Albert Einstein, 627/701 , 05651-901 São Paulo - SP, Tel.: (55 11) 2151 0904 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: revista@einstein.br