Violências escolares: que aprendemos para a formação de professores?

Adriana Lira Candido Alberto Gomes Sobre os autores

Resumo

Considerando fundamental o papel dos docentes para superar as violências escolares, esta pesquisa identificou como adolescentes percebem as ações dos seus professores. Trata-se de uma investigação qualitativa, por meio de imersão numa escola com anos finais do ensino fundamental da periferia de Brasília, capital do Brasil. Realizaram-se análise documental, observação e entrevistas individuais semiestruturadas, além de grupos focais. Os resultados apontam para o uso de metodologias pouco compatíveis com as aspirações adolescentes de autonomia e protagonismo, com excesso de exposição oral e cópias. As relações impessoais dos professores com os alunos, aliadas às dificuldades de lidar com conflitos na sala de aula, contribuem para violências e indisciplina surgirem e se agravarem. Daí fluem propostas para alterar a formação docente.

Violência escolar; Indisciplina; Adolescentes; Ensino fundamental; Formação de professores

Fundação CESGRANRIO Rua Santa Alexandrina 1011, Rio Comprido, 20261-235 Rio de Janeiro - RJ - Brasil, Tel.: + 55 21 2103 9600, Fax: + 55 21 2103 9600 r.338, - Rio de Janeiro - RJ - Brazil
E-mail: ensaio@cesgranrio.org.br